Melz Assessoria de imprensa

[16/12/2010] Videogame é mesmo coisa de criança? Saiba porque a resposta é não
16/12/2010

Por muito tempo os videogames foram considerados brinquedos de criança. Mas, a medida que os jogadores das primeiras gerações cresceram, multiplicaram-se também as funcionalidades do equipamento. Hoje em dia, além de divertirem crianças e adultos, os videogames se tornaram peças usuais em sistemas de entretenimento. Francisco Marengo, diretor técnico da Prime Home, explica que agora que estão em sua sétima geração, os aparelhos (atualmente conhecidos também por consoles) passaram a ter também características multimídia. “Mesmo que não se interesse por jogar, muitas pessoas utilizam o equipamento para ver filmes, ouvir músicas e visualizar fotos”, completa o executivo.

Os modelos da sétima geração são o Playstation 3 (da Sony), o Xbox 360 (da Microsoft) e o Wii (da Nintendo). Cada um tem diferenciais e vantagens, o que faz com que pessoas que adquiram um geralmente queiram adquirir os outros também. “Parte das novas tecnologias é a possibilidade de jogar online (como num computador) e poder adquirir novos conteúdos mediante pagamentos específicos para cada item, com valores distintos para cada compra”, explica Francisco. Outra novidade é o número de jogadores, que hoje pode chegar a sete simultâneos em um mesmo equipamento.

Para as pessoas que procuram melhor qualidade visual, o Playstation 3 e o Xbox 360 são os mais indicados. Com capacidade de gerar imagens de definição até 1080p e 1080i, são os preferidos na hora de ter jogos em uma tela Full HD. O Playstation 3 muitas vezes é escolhido por ser o único que lê Blu-ray e, portanto, permite que filmes com o formato sejam vistos pelo equipamento. No caso do Xbox 360, uma das vantagens é o modo online. Enquanto o Playstation 3 conta com a PSN (Playstation Network) que é gratuita, o serviço Xbox Live é pago com créditos que podem ser adquiridos em diferentes pacotes. “Para alguns isso pode parecer desvantagem, mas o Xbox 360 traz mais opções na hora de jogar online”, explica Francisco.

O terceiro concorrente pela preferência dos jogadores é o Wii. “É o mais vendido mundialmente por um diferencial: os controles de movimento”, explica Francisco. “Enquanto o Xbox e o Playstation possuem controles padrão, o equipamento da Nintendo conta com diferentes modelos – cada um é responsável por um tipo de movimento que a pessoa deve fazer imitando as ações mostradas na tela”, acrescenta o executivo. Ele usa o exemplo do jogo de boliche. “O jogador deve segurar o controle como se fosse a bola e fazer o movimento como no esporte real, com as mesmas noções de força e direção”, exemplifica.

Por questões de segurança, os controles vêm com uma corda que é presa ao pulso para evitar acidentes. “Uma desvantagem do Wii perto dos concorrentes é a qualidade de imagem”, coloca o diretor da Prime. Enquanto os outros modelos contam com resolução máxima de 1080p/1080i, o Wii chega apenas a 576i (abaixo dos padrões de televisores HD).

Para concorrer com a Nintendo, a Sony lançou o seu próprio controle de movimento com funções similares aos do Wii e a Microsoft foi ainda mais longe com o Kinect. O Kinect é um sensor de movimentos que faz com que não seja necessário uso de controles. “Ele até mesmo reconhece pessoas na hora de ligar o videogame e salva os progressos individualmente”, diz Francisco. Ele completa que são poucos jogos que já são adaptados ao equipamento.

Seja qual for o modelo escolhido, o executivo da Prime lembra que para o melhor aproveitamento das tecnologias de cada aparelho, os processos de instalação e integração com os outros sistemas de entretenimento são fundamentais. “A assessoria especializada pode aumentar muito as vantagens técnicas dos equipamentos”, finaliza.

No show-room da Prime Home há um Playstation 3. Se você ainda não conhece os benefícios do equipamento integrado ao home theater, agende uma visita e teste suas emoções com Gran Turismo, Need for Speed, Fifa 2010 e F1 2010.