Melz Assessoria de imprensa

[19/10/2012] Fellipelli e SBA Associados passam a trabalhar em parceria no Sul do Brasil
19/10/2012

Você pode até tentar controlar, mas quando o médico bate com o famoso martelinho no joelho, o instinto faz com que a sua perna se estique quando ele chega. Essa reação faz parte de um reflexo que pode ser explicado pela neurociência. E se engana quem pensa que esta ação está longe do mundo nos negócios e resultados. Adriana Fellipelli, diretora de uma das mais respeitadas consultorias do país, acredita que entender este instinto comportamental é o primeiro passo para uma gestão estratégica de pessoas.

E foi com este pensamento e investindo nesta área que a Fellipelli passou a se destacar no Brasil. Hoje, atende companhias como Souza Cruz, AmBev, GM, Ford, Itaú, Basf, Banco Central, Philips, Avon, Unilever, Boticário e Bunge, entre outros. E a partir de 2012, a SBA Associados é a parceira da empresa para o Sul do Brasil.

Sidney Bohrer de Aguiar, diretor e consultor da SBA, diz que esta união é fruto da identificação nas metodologias e no foco por resultados. “Houve uma aproximação por um trabalho que realizamos em conjunto em uma grande empresa. Tivemos uma sintonia muito grande e, desde, então realizamos alguns projetos em conjunto”, lembra.

Abaixo, Adriana conta um pouco da história da empresa:

O slogan da Fellipelli é muito simples e objetivo: “Melhor juntos”. Gostaria que a senhora falasse mais sobre ele.
Adriana Fellipelli: Está muito alinhado com a nossa filosofia de trabalho. Acreditamos que é a soma das características de cada um que faz o todo melhor. O brilho de um aumenta o brilho de todos. Quando uma pessoa defende muito o espaço dela e não compartilha, empobrece o conjunto de uma empresa. Todos os nossos projetos têm o objetivo de fortalecer o todo através do melhor de cada um.

E como essa ideia começou?
AF: O início dos nossos projetos foi na área de outplacement, há 25 anos. Depois, em 1994, fomos para o exterior buscar ferramentas para acelerar o conhecimento destas pessoas. Foi aí que encontramos o MBTI (Myers-Briggs Type Indicator), uma metodologia que identifica os tipos de personalidade e as suas características para promover o autoconhecimento. Trouxe a metodologia para o Brasil e, no ano 2000, vendemos a empresa para uma multinacional americana. Depois de sete anos de volta ao mercado como executiva, resolvi trazer essa experiência com a Fellipelli.

A atuação da empresa é dividida em desenvolvimento organizacional, instrumentos de desenvolvimento, qualidade de vida e coaching. Gostaria que a senhora comentasse sobre elas.
AF: Exatamente. Estas quatro grandes áreas se subdividem em projetos bem específicos. O desenvolvimento organizacional é dividido em avaliar e conscientizar (assessment center, avaliação 360°, avaliação de desempenho, pesquisa de clima e análise de perfil), capacitar e desenvolver (executive coaching, equipes de alto desempenho, liderança, team building e team coaching) e planejar e decidir (carreira, gestão por competências, retenção e sucessão). Os instrumentos de desenvolvimento são 12 (MBTI, MBTI Step II, BIRKMAN, TKI, TMP, IPT Seleção, IPT Liderança, Prevue, FIRO-B, Interaction Style, EQi 2.0, Adam Milo – Bateria de testes para seleção). A área de qualidade de vida, que está em desenvolvimento, vai trabalhar com projetos que estimulem as empresas a pensar na vida dos seus profissionais. A nossa metodologia de coaching é a baseada em neurociência. Representamos o NeuroLeadership Group.

Adriana Fellipelli e Sidney Bohrer de Aguiar. Crédito: Daniel Zimmermann