Melz Assessoria de imprensa

[20/12/2011] Existe vida após o ar-condicionado?
20/12/2011

Quem vive em cidades grandes e com intensas ondas de ar seco, sabe: o verão torna praticamente obrigatória a presença do ar-condicionado. Porém, em meio ao vislumbre de dias mais frescos, um detalhe pode acabar sendo deixado de lado: as plantas. Ambientes tomados pela praticidade da refrigeração do ar são prejudiciais para a maioria das espécies ornamentais. Com a falta de umidade, elas sofrem uma desidratação acelerada e, gradativamente, adquirem um aspecto queimado. Resultado: não há regeneração possível e a folhagem se desintegra completamente.

Ana Glória Nunes, engenheira florestal e gerente da Casa di Fiore, explica que há medidas a serem tomadas para evitar que isso aconteça. “É vital abastecer as plantas com a umidade necessária, instalando pontos de fornecimento pela evaporação: a terra do vaso, na superfície, pode ser um deles”, diz. “Além de ajudar a umedecer as folhas, estes pontos ajudam a desenvolver novas mudas”, complementa.

A luminosidade é outro fator importante para a sobrevivência das plantas no ar-condicionado. Lâmpadas fluorescentes não são indicadas, já que produzem muita claridade e não emitem os raios necessários para o processo de fotossíntese.

Por fim, Ana destaca que os cuidados com a adubação também merecem atenção. “Fertilizantes foliares podem ser utilizados uma vez ao mês, porque suprem as necessidades para o crescimento sadio das plantas. Eles são ricos em micronutrientes como zinco e cobre”, conclui.