Melz Assessoria de imprensa

[24/08/2012] Sete dicas para escolher seu hotel
24/08/2012

Chegou a hora de planejar a viagem de férias. Escolher a melhor data, o destino, o roteiro, organizar os documentos e definir a companhia aérea. São tantos detalhes que o hotel nem sempre entra na lista de preocupações. “É importante que, ao programar uma viagem, a escolha da acomodação não fique em segundo plano e não se limite apenas ao valor da diária. Ao contratar uma agência, deixe claro o que espera da hospedagem e se tem alguma restrição quanto ao local escolhido”, conta Sueli Buhatem, agente de viagens e diretora da Primundo Viagens e Eventos. Ela elencou sete itens fundamentais para que os turistas não se decepcionem ou passem por situações constrangedoras com relação ao hotel.

1 – Localização: “Escolher se hospedar próximo ao Centro ou aos pontos turísticos que se pretende visitar, além de facilitar a vida dos turistas, pode resultar ainda em economia. Quando o hotel é bem localizado, a necessidade de percorrer grandes distancias de táxi diminui. Em alguns casos, o roteiro planejado pode até ser feito a pé, só depende da disposição que quem vai viajar”, ressalta Sueli.

2 – Estrutura: O hotel escolhido aceita seu tipo de cartão como forma de pagamento? Isso pode ser mais comum em pousadas, que nem sempre aceitam todos os tipos de cartões de crédito ou débito. É importante verificar antes, para evitar contratempos na hora do fechamento da conta.

3 – Deficientes físicos/idosos: Nada mais desagradável do que se hospedar em um um local que não esteja adequado a atender as necessidades de deficientes físicos ou idosos. Se você ou seu acompanhante precisam de acomodações com fácil acesso, verifique a disponibilidade com o hotel antes de fazer a reserva. Parece algo trivial, mas nem todos os empreendimentos estão aptos a receber pessoas com necessidades especiais.

4 – Viajar com crianças: Você sabia que alguns hotéis não aceitam a hospedagem de crianças? Já imaginou descobrir esse detalhe apenas na hora de fazer o check-in? Outra preocupação é saber se o quarto possui alguns itens de segurança, como rede de proteção nas janelas. Cuidado nunca é demais quando se trata do bem-estar de nossos filhos.

5 – Custo/benefício: Para a agente, não basta apenas a tarifa ser atraente, é necessário ser realista e ver se o hotel oferece os serviços que você julga necessário. “Se o turista pretende jantar no hotel, é importante confirmar os horários e o funcionamento desse serviço. De nada adianta também se hospedar em um lugar que tenha piscina – e cobre na tarifa por isso – se é inverno”, enfatiza.

6 – De olho no cardápio: “Se a ideia é fazer algumas refeições no hotel, é importante ver se o cardápio agrada”, conta Sueli. Ela lembra que algumas pessoas precisam levar esse item a sério, principalmente quem tem algum problema ligado à alimentação, como intolerância à lactose, por exemplo. “Nunca é demais checar se o que você está comendo não irá lhe fazer mal. Ninguém quer passar as férias em um pronto-socorro”, lembra.

7 – Viajar com animais: A onda de levar os bichinhos de estimação na viagem ganha cada vez mais adeptos. Se você é um deles, escolha um hotel que aceite animais. Se não for e não pretende cruzar com eles nos corredores, lembre-se de pedir ao agente de viagens tomar este cuidado na hora de reservar as acomodações.