Melz Assessoria de imprensa

[27/11/2012] Iniciativas de Portland foram destaques do 1º Fórum Internacional de Inovação, Design e Sustentabilidade
27/11/2012

No dia 23 de novembro, Florianópolis foi sede do 1º Fórum Internacional de Inovação, Design e Sustentabilidade. O evento, realizado pelo Santa Catarina Moda Contemporânea (SCMC) e pelo Sistema Fiesc, teve como objetivo levar o conhecimento de empresas e instituições de ensino sobre iniciativas de sustentabilidade.

A primeira etapa da programação teve como destaque quatro personalidades trazidas diretamente da segunda cidade mais sustentável do mundo: Portland, nos Estados Unidos. Na segunda fase, foram apresentadas três iniciativas brasileiras para desenvolver atitudes sustentáveis.

Veja abaixo os temas abordados por cada palestrante.

Glauco José Côrte
Presidente da Fiesc

Glauco abriu o evento comentando que não é com preço que Santa Catarina deve competir com as indústrias internacionais. “Nosso foco deve ser em qualidade e design”, afirmou. E, segundo o executivo, a prova de que o Estado está a passos largos para reforçar essa característica é a conquista para sediar a Bienal Brasileira de Design em 2015. “O design pode – e vai – se tornar o nosso diferencial competitivo diante do resto do país”, completou.

Cristiano Buerger
Presidente do SCMC

A primeira etapa da fala de Cristiano foi baseada em números. Segundo a apresentação dele, Santa Catarina tem 17% das empresas têxteis do País que respondem por 15% do faturamento e empregam cerca de 170 mil pessoas. “Oito dos 25 maiores grupos brasileiros estão aqui”, confirmou. O PIB Têxtil do Estado é de R$ 17,9 bilhões.

Para Cristiano, Santa Catarina tem uma situação excepcional. “Além das questões corporativas, temos ainda dois dos maiores clubes de música eletrônica do mundo, atrações turísticas invejáveis e muito o que mostrar”, complementou o executivo.

Scott Hamlin
Co-fundador da Looptworks

A Looptworks é uma empresa especializada em desenvolver produtos com as sobras de produção de outras empresas. Mas isto está longe de significar itens com baixo valor agregado. Através do design e da venda do conceito de sustentabilidade, a companhia apresenta números significativos de crescimento.

Scott, que já foi presidente de companhias como a Adidas, destacou que as pessoas não tem o hábito de consumir produtos apenas por serem sustentáveis. “Se compra pelo design, pela praticidade, pela beleza e também por ter um conceito de proteção ao meio ambiente”, explicou.

Rex Burkholder
Presidente do Metro Council

O Metro Council é uma entidade que controla algumas ações governamentais e de entidades de cidades da região de Portland. Os diretores dela, eleitos pelo povo local, acompanham atitudes sustentáveis e de qualidade de vida realizadas pelas prefeituras.

Ele reforçou que, há 25 anos, o município era completamente diferente. Com níveis de poluição altíssimos, chegou a ter as aulas suspensas por falta de qualidade do ar. “O processo de mudança da cidade envolveu todas as esferas: da casa de cada um até a prefeitura, empresas e entidades. Em Santa Catarina, o SCMC é uma mostra muito importante de que as companhias estão se mobilizando para fazerem a sua parte”, destacou.

Nancy Hales
Diretora da Portland State University

A executiva dirige o First Stop Portland, onde desenvolve e supervisiona tours de estudo para planejamento urbano com delegações internacionais e estudantes da universidade. A Portland State University tem 30 mil alunos.

Na sua palestra, ela falou da importância das empresas que acreditam em inovação e sustentabilidade na construção dessa nova Portland, mais sustentável. Ela afirmou que as ações que acontecem na cidade estão alinhadas também com os executivos e com as instituições de ensino.

Charles Hales
Prefeito de Portland

O prefeito comentou sobre alguns aspectos diferenciados de Portland como, por exemplo, o fato de 18% das pessoas utilizarem a bicicleta como veículo de transporte. Em um vídeo sobre a cidade, mostrou a importância dos espaços de lazer e algumas iniciativas simples e de resultados eficazes, como os prédios verdes, que reduzem a necessidade de aparelhos de ar condicionado.

Sérgio Arruda
Diretor regional do Senai SC

O executivo abordou a criação de Institutos Senai, que fazem parte de um projeto de estratégias para o aumento da competitividade das indústrias de Santa Catarina, e tratou especialmente dos cursos voltados cadeia têxtil e de design no Estado.

Emilio Mattos
Diretor do Instituto Ethos

O Instituto Ethos é uma entidade que tem por missão sensibilizar, mobilizar e ajudar as empresas a gerirem seus negócios de maneira socialmente responsável. Várias dessas indústrias ligadas ao SCMC utilizam os indicadores da entidade para gerirem seus programas neste sentido.

Na sua fala, Emílio destacou a importância do engajamento de empresas de todos os portes no processo de responsabilidade social.

Yolanda Leite
Pacto Global
Criado em 2000 pela Organização das Nações Unidas (ONU), o Pacto Global é um projeto de adesão voluntária das empresas que se comprometem com alguns aspectos relacionados à responsabilidade social e ambiental.

Na sua fala, a executiva comentou que o grande desafio da sustentabilidade é engajar e envolver as empresas menores. “Elas são o chamado motor do mundo”, destacou. Yolanda também apontou que não há desenvolvimento sustentável sem o cumprimento dos direitos humanos.

Karine Liotino da Silva
Associação Brasileira da Indústria Têxtil (Abit)

A executiva fez a apresentação oficial do Selo Qual, uma agenda prioritária da Abit, que será um mecanismo de diferenciação para as indústrias, tanto para os seus habituais clientes quanto para a contratação do governo. Mais informações no site www.seloqual.com.br.

Esta é uma das iniciativas definidas em 2006, quando um estudo apontou como estaria a indústria têxtil brasileira até 2023.

Crédito: Eduardo Beltramini