Melz Assessoria de imprensa

Blog corporativo: o seu é de verdade?
23/06/2017

[Por Sabrina Hoffmann, que apesar de ser de humanas acredita que a combinação planilha + pesquisa + produção é uma equação perfeita]

Você com certeza já buscou algum serviço ou produto na internet. Pode ser desde aquele jogo de copos incrível estampado com personagens do filme que está em alta até um fornecedor que fará uma reestruturação no ambiente da sua empresa.

Se parar para analisar, vai ver que está cada vez mais comum o uso de blogs corporativos nos sites de marcas de diferentes segmentos (inclusive no nosso!). Junto com as redes sociais, essa plataforma tem a missão de tornar o portal de uma empresa mais dinâmico, atualizado e com visitantes que fiquem por mais tempo no endereço. Além disso, são ferramentas essenciais para que você possa difundir informações sobre o seu negócio, mostrar que entende do setor em que atua e ainda captar leads – aqueles contatos com nome, e-mail ou telefone – de pessoas que possam se tornar compradores em potencial.

Mas como tudo o que se torna popular, nem sempre o uso desse tipo de ferramenta é realizado da melhor forma. Aí já viu: o cliente fica com uma impressão negativa, encontra na plataforma opiniões ou informações desconexas ou não confiáveis. Esse tipo de erro na produção de conteúdo para blog corporativo está cada vez mais comum e volta e meia nos deparamos com um espaço que parece “de mentira”. São aqueles feitos de qualquer jeito, com posts desinteressantes e que não estejam ligados realmente ao propósito da empresa. Se você está em dúvida em relação ao conteúdo que anda disseminando, verifique as seguintes questões:

Leads a qualquer custo? Não!
É obvio que, no fundo, você quer ganhar dinheiro e conquistar novos clientes. Essa, afinal, é a intenção de qualquer trabalho realizado dentro da comunicação corporativa. Porém ela não deve ser a essência do seu blog e o conteúdo não pode ser puramente comercial. Ninguém perde tempo lendo um material que só quer te fazer comprar algo e não agrega em nada ao dia a dia ou ajuda resolver aquela dúvida que surgiu. Lead é bom e todo mundo quer – e ninguém vai recusar preencher um cadastro pra receber aquele e-book ou post se ele for, de fato, interessante.

Produto, produto, produto…
Esse é outro erro comum. Tem muita empresa produzindo conteúdo com foco apenas naquilo que vende. Com isso, perde a oportunidade de mostrar que também pode entregar valor ao cliente e que conta com uma equipe que entende do assunto ou setor em que a marca atua. Assim que acessa o blog, o leitor já percebe que só vai encontrar propaganda (mal) disfarçada e que os textos não informam, mas, sim, passam certa arrogância corporativa.

Amanhã, semana que vem ou mês que vem, quem sabe
Hoje tem post, no mês que vem não, no segundo semestre rola um por dia. Ninguém aguenta instabilidade e isso inclui o seu cliente. Um blog corporativo bem feito precisa ser alimentado com uma frequência bem definida: não necessariamente no mesmo dia da semana, por exemplo, mas deve ter atualização constante. Pode ser uma vez a cada quinze dias, uma vez por mês, toda semana. Antes de definir, certifique-se de que terá tempo para produzir ou aprovar o conteúdo caso conte com um fornecedor para realizar os materiais.

Planilha = <3
Se a gente que é de humanas curte, imagina quem é gestor e precisa controlar todo o trabalho! Antes de começar – ou de melhorar – o seu blog, não esqueça do planejamento. Conte com planilhas para acompanhar as produções – definição do tema, para que tipo de público ele é destinado, dia previsto para publicação e status do trabalho. Essa é uma boa maneira de manter a comunicação com a equipe e garantir alinhamento com os fornecedores. Não esqueça que atualizar os dados também depende de você, que deve aprovar temas e textos e manter os produtores do conteúdo informados sobre novas demandas que possam aparecer na sua empresa.

Fique por dentro de mais dicas e novidades da Melz:
Factual X não-factual: quando não divulgar é a melhor opção
Por que não há resposta mágica para quanto investir em redes sociais
Campanha heróica: número de currículos por vaga no site da HBSIS cresce 305% com ações digitais
O que eles dizem sobre nós: parte 2!