Melz Assessoria de imprensa

Case Fakini: ampliação de percepção de marca e proximidade com clientes
15/07/2016

A Fakini é uma marca de moda infantil e juvenil, com sede em Pomerode (SC), que tem mais de 20 anos de mercado. Entre os diferenciais dos produtos estão o design, o preço competitivo e personagens licenciados de grandes nomes mundiais do entretenimento infantil.

O desafio
Começamos o atendimento na Fakini em julho de 2012. Com números de expansão acima da média do segmento e representatividade aumentando nos pontos de vendas, a companhia nos trouxe, na época, dois grandes desafios: o aumento da percepção de marca por parte do mercado e um novo posicionamento online, mais próximo ao consumidor final.

Estratégia
Numa análise criteriosa do histórico da empresa e do segmento têxtil (especialmente infantil), entendemos que havia uma grande oportunidade para o posicionamento de uma companhia que se diferenciasse pelo crescimento e pela tecnologia. Alinhamos informações e conseguimos comprovar a importância de que alguns números (de peças, percentual de crescimento, investimentos para o futuro) fossem conhecidos pelo mercado. A partir daí, começamos a apresentar a empresa como um case para veículos voltados a negócios.

No posicionamento online, criamos um blog que se posicionou como principal canal de comunicação entre as mães consumidoras e marca. Lá, as postagens variam entre questões lúdicas do universo infantil, saúde e moda. Também reformulamos a linguagem e a apresentação visual das postagens nas redes sociais (Facebook e Instagram, por exemplo), que hoje são mais próximas das mães.

Em 2016, com o boom dos influenciadores digitais, criamos também uma metodologia de relacionamento da marca com esses formadores de opinião. Através de uma ação construída em conjunto com o marketing da empresa, enviamos peças da coleção Inverno 2016 e os resultados foram surpreendentes.

Resultados
Nos últimos 18 meses, a Fakini conquistou espaços em 49 jornais e 17 revistas. Na área institucional, se destacam veículos como Valor Econômico (outubro de 2015), Diário da Indústria e Comércio (DCI) (dezembro de 2014, junho de 2015 e novembro de 2015). Veículos segmentados para o setor têxtil como Costura Perfeita e O Confeccionista também dedicaram páginas para a trajetória da empresa, assim como a revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios. Em todos esses espaços, a companhia esteve como único case ou ladeada de seus principais concorrentes.

Na comunicação online, a facilidade de contato e a identificação com a linguagem adotada nas postagens levou 484 pessoas a entrarem em contato com a Fakini em 2015 pela página no Facebook. No blog, no mesmo ano, foram mais de 30 mil acessos de 16 mil visitantes diferentes.

A ação com as influenciadoras digitais atingiu mais de 1,5 milhões de seguidores com um valor baixíssimo de investimento por parte da empresa. A repercussão em termos de marca alavancou algumas oportunidades de negócios e foi usada como case para o time de representantes.