[20/07/2011] Francisco Marengo e Rodrigo Pamplona estiveram na Expo PredialTec 2011 e contam as novidades

Aconteceu em São Paulo (SP), durante os dias 12, 13 e 14 de julho, a Expo PredialTec 2011. A feira acontece anualmente e tem como foco a exposição de tecnologias avançadas em automação predial e residencial. O diretor da Prime Home, Francisco Marengo, e o engenheiro da empresa, Rodrigo Pamplona, compareceram ao evento para saber das últimas novidades na área de automação.

O diretor da empresa conta que a automação definitivamente veio para ficar. “Automação é uma tendência mercadológica. Isto é fato. O aumento de fornecedores, espaço físico e expositores cresceu muito em relação ao ano passado”, comenta. O aumento de visitantes também aumentou consideravelmente e palestras na Aureside (Associação Brasileira de Automação Residencial) bateram recorde de público.

Em relação às novidades demonstradas na feira, Rodrigo confirmou o que já era esperado. As tecnologias estão convergendo para tablets e celulares, solidificando o controle central de softwares como o Control 4. “O que começou como uma inovação se tornou um padrão no mundo da automação. As empresas estão aproveitando que hoje em dia todo  mundo possui um celular ou tablet. Para facilitar a vida do cliente, o controle central é transferido para o aparelho, evitando um controle específico apenas para aquela situação”, explica.

Francisco diz que uma das tendências atuais é a automação extendida para o condomínio, além de residências. A preocupação com sustentabilidade e economia de energia abriu espaço para tecnologias que ajudem nesse sentido. “É uma área que está tendo cada vez mais demanda e estamos preparados para atendê-la”, finaliza.

[11/07/2011] SUPER-PROMOÇÃO: sistema de caixas acústicas e receiver!

Qualidade e potência são garantidas com o kit promocional que a Prime Home lançou para garantir maior e melhor eficácia do som na sua casa. São um receiver Onkyo TX-SR508 e o sistemas de caixas acústicas RM705 da Polk. Francisco Marengo, diretor da Prime, falou sobre ele nesta matéria.

Receiver Onkyo TX-SR508 7.1 canais
Potência: 80W RMS por canalZona 2 amplificada
Conexões:  quatro entradas e uma saída HDMI 1.4a repeater (som e imagem 3D), duas entradas óticas, duas entradas coaxias, duas entradas e uma saída vídeo componente

Sistema de caixas acústicas Polk RM705 5.1 canais
Amplificação: 20 a 100 W RMS por canal
Falantes: um driver de 2 ½ polegadas e um tweeter de ½ polegadas
Sensibilidade: 89dBsResposta de frequência: 40 Hz a 22kHz
Impedância: 8 Ohms
Subwoofer: um woofer de 8 polegadas e resposta de frequência de 40 a 120 Hz

Na aquisição do kit você leva de brinde um cabo HDMI 1.4a de 1,80m. De R$ 4.599,00 por R$ 3.999,00 com parcelamento de 1 + 5 de R$666,50 ou à vista com 5% de desconto.

A promoção é válida enquanto durarem os estoques, portanto aproveite e entre em contato através do e-mail comercial@primehometheater.com.br.

[07/07/2011] A procura da caixa perfeita

A caixa perfeita pode ser como um carro ou uma casa. Existem milhares de modelos para cada gosto. Pequenas, médias ou torres. Audiófilos poderiam até dizer que encontrar a caixa perfeita é como encontrar o verdadeiro amor: uma vez achada, não troca por nenhuma outra. A primeira etapa na procura, é simples: saber o que a pessoa quer.

Você prefere caixas que apareçam ou que possam ficar escondidas na mobília? Chamativas ou discretas? Pequenas ou grandes? Que prevaleça potência ou qualidade? São diversos fatores na escolha e geralmente cada modelo de caixa possui um diferencial. “Várias marcas investem muito para criar a perfeição: potência, qualidade, tamanho ideal e estética. Mas a caixa perfeita acaba sendo aquela que melhor se adequa ao gosto da pessoa que irá usufruir dela”, comenta Francisco Marengo, diretor da Prime Home.

Considerando a afirmação de Francisco, a Prime separou três modelos de caixas em home theaters, variando em tamanho, potência e qualidade. São eles:

TL1600 e RM705
As caixas da Polk seguem a linha da performance. O design das caixas utiliza “lentes acústicas” que causa o efeito de som aberto, mesmo que o tamanho delas seja pequeno. Elas utilizam a tecnologia Time Lens, que alinha os drivers para que as frequências cheguem todas aos seus ouvidos ao mesmo tempo. “É um modelo pequeno, focado na qualidade. Para ambientes menores, é recomendado por conseguir ‘carregar’ o som até os usuários”, explica Francisco.

TSi 100 e TSi 200
Também da marca Polk, os modelos 100 e 200 seguem a linha de caixas de tamanho médio. Seu diferencial é o acabamento em madeira de cerejeira, o que garante frequências médias e graves fiéis. Os cones dos woofers são feitos de fibra orgânica bi-laminada. Francisco explica que a tecnologia foi desenvolvida em conjunto com a Universidade John Hopkins, chamada de Dynamic Balance, faz a diferença. “Ela mede a superfície do driver enquanto treme para detectar o melhor material para as frequência produzidas. No caso do modelo TSi, foi escolhido fibra orgânica para garantir potência aliada a qualidade”.

RTi A1 e RTi A3
Para os exigentes quando se trata de pressão sonora. Recomendados para salas acima de 30 metros quadrados, o modelo RTi é feito para entregar performance e qualidade. Possuem seis camadas de madeira na construção da caixa, garantindo acústica diferenciada. “São caixas ideais para quem procura potência sem perder qualidade. Também levam a tecnologia Dynamic Balance, o que garante materiais designados para tirar o máximo proveito dos falantes”, diz Francisco.

O modelo RM705 está à disposição para teste de audição e performance no show-room da Prime Home.

[30/06/2011] PPV? VoD!

Você sabe o que é Pay-Per-View, também chamado de PPV? Pay-Per-View é um serviço oferecido por algumas empresas do segmento de TV paga. Para entender de forma resumida, você vê uma grade de programação onde para assistir alguns filmes, shows e programas, é preciso pagar separadamente. O lado bom? Você pode assistir ao vivo, inédito. O lado não tão bom? Por este mesmo motivo, os horários de exibição são fixos. Você sabe o que é Video-on-demand? O diretor da Prime Home afirma que quem gosta de ficar em casa não vai querer saber de outra coisa.

Você tem uma TV que gosta com um sistema multimídia instalado e configurado. Começou a chover e a pedida do dia é assistir um filme no conforto do sofá. Você vai até a locadora da sua escolha, aluga um filme e volta para casa para assistir. Ou você liga a sua TV e assiste o filme que você alugou com a operadora, para este dia e horário, escolhidos previamente. Se você quer poder escolher a segunda opção você vai precisar do serviço VoD.

Video-on-Demand está sendo introduzido no Brasil e promete forte concorrência com as locadoras físicas. Atualmente oferecido pela Sky e Net (é necessário o download de um software para utilizar), é um serviço que você contrata e que dá a opção de escolha de filmes, shows e programas especiais para locação. “O forte do VoD está na opção de escolha de dia e horário. Você escolhe o momento em que o conteúdo estará disponível. É basicamente uma locadora particular”, explica Francisco Marengo, diretor da Prime Home.

Os conteúdos possuem preços diferentes para locação, de acordo com a qualidade escolhida. As opções são de Standard Definition (SD), que é a qualidade de DVD padrão, e High Definition (HD), que é a qualidade de alta definição com áudio 5.1.

Mas o serviço não é restrito às empresas de TV paga. Se você possui uma TV conectada, é possível obter conteúdos da internet através de sites. “Basta fazer o cadastro e possuir uma conexão adequada”, comenta Francisco. Caso seja escolhido material de qualidade SD, uma conexão mínima de 2MB é recomendada. Para conteúdo HD, acima de 5MB é necessário.

É bom lembrar que o VoD é uma opção alternativa para a locadora, mas para quem gosta de eventos ao vivo, o PPV ainda é recomendado. “O VoD é um serviço que oferece conteúdo desde o antigo até o mais recente, mas Pay-Per-View ainda é uma opção para os aficcionados por estréias”, finaliza o diretor.

[22/06/2011] Ditados que vêm a calhar

“Melhor prevenir do que remediar”. “Segurança nunca é demais”. “O seguro morreu de velho”. Todos já ouvimos estes ditados antes, mas nem sempre colocamos em prática. Pensando nisto, a Prime Home oferece a implantação de sistemas de segurança que podem ser aplicados junto à automação. Francisco Marengo, diretor da empresa, diz que ter total controle da sua casa nunca foi uma idéia tão real quanto agora.

Foi-se o tempo em que ter uma tranca com corrente na porta era sinônimo de segurança. Hoje em dia, se um bandido quiser entrar em sua casa, ele provavelmente terá sucesso. Especialistas dizem que a melhor forma de garantir a segurança do seu lar é desencorajar o criminoso. “A idéia é simples: se achar que tem alguém em casa, ele já vai pensar duas vezes antes de tentar arrombar a porta”, explica Francisco. “Pensando nisto, sistemas foram criados para simular a rotina da família, acendendo luzes automaticamente em determinados horários, por exemplo”.

Mas não é apenas um sistema automatizado que garante o sossego das pessoas. Câmeras IP viraram a linha de frente em muitas casas. “Estes modelos são os mais usados, pois funcionam integrados à internet, possibilitando a visualização em tempo real do ambiente que estão monitorando”, diz o executivo. Basta configurar o sistema com um aparelho que utilize Control 4 – como um iPhone ou iPad –  e a pessoa pode acessar de qualquer lugar para checar a segurança.

Outros eletrônicos usados são os sensores. Desde modelos de presença até de fumaça, eles podem avisar o usuário do sistema de qualquer movimentação suspeita ou perigo. “É possível integrar no sistema um aplicativo que manda mensagens automáticas para serviços de emergência, caso algum sensor ou alarme seja disparado”, comenta Francisco.

Caso o cliente queira, é possível abandonar as chaves. O executivo comenta que basta a instalação de travas com senhas numéricas ou sequência de cores. “É uma segurança ainda maior. O número de combinações é muito grande, então sem saber a senha, fica praticamente impossível de entrar”.

“São muitas possibilidades para vários fins. Alguns clientes utilizam de um sistema de monitoração para cuidar de quem está em casa, seja uma criança ou um idoso. Outras pessoas utilizam porque viajam muito e acabam se sentindo inseguras. O que importa é que todos possam estar mais seguros com as possibilidades que a tecnologia dá”, finaliza o executivo.

——————–
Veja esta notícia também em:

Facebook
LinkedIn
Instagram