Concreto aparente: saiba como e porque utilizar a técnica na sua casa

Ele se tornou uma característica da arquitetura brasileira no início do século 20, através do movimento modernista, que consagrou profissionais como Oscar Niemeyer. O concreto aparente pode ser aplicado basicamente em qualquer obra onde se almeja um aspecto moderno e contemporâneo da estrutura. Se engana quem pensa que trata-se apenas de uma forma de decoração. Na verdade, estamos falando de peças em sua grande parte com funções estruturais, que se diferenciam por não receberem nenhum tipo de cobrimento na fase de acabamento, tornando-se aparentes.

Quem explica sobre a aplicação da técnica é o gestor técnico de vendas da Supremo Cimento, Wanderson Araújo Alves. Para se garantir que o ambiente fique seguro e bonito, a primeira dica é buscar auxílio profissional de um engenheiro, arquiteto ou consultor especializado em concreto. “Estes profissionais irão dizer qual o tipo de concreto a ser utilizado, tipo de formas e a melhor técnica a ser utilizada de acordo com o tipo da obra e a expectativa do cliente. Nesta etapa serão definidas as características do concreto: resistência, trabalhabilidade, porosidade, tipo e dimensão máxima dos agregados (areia e pedra). Cor e textura também devem ser levadas em conta antes do desenvolvimento do traço de concreto. Esta pré-caracterização, irá garantir que a peça concretada atenda aos esforços solicitados, proporcionando a segurança e conforto à obra. Para que tudo ocorra de maneira adequada é preciso utilizar a técnica adequada, aplicação cuidadosa e contar com uma equipe capacitada” explica.

Outro cuidado fundamental é a escolha do cimento. Antes de tudo ele precisa ser normatizado. Após escolhido o tipo e a marca, é necessário manter esta seleção, inclusive para os agregados. Cada fabricante possui uma coloração e módulo de finura específico de seu produto. “Por este motivo o sugerido é que se evite alterações durante o processo reduzindo assim possíveis diferenças na tonalidade e textura da peça. Por fim atentar-se à quantidade de àgua colocada no traço – caso o concreto seja produzido na obra. Ela também pode gerar alteração na cor, mas principalmente prejudicar na durabilidade uma vez que aumenta a porosidade do concreto deixando sua armadura exposta aos agentes externos”, lembra o gestor.

Novas soluções no mercado
Técnicas construtivas como esta tem atraído cada vez mais adeptos que buscam praticidade sem abrir mão da qualidade e estilo. “O mercado em si tem se tornado cada dia mais exigente e inovador. Por este motivo a Supremo Cimento tem investido na qualidade de seus produtos e, além da inauguração da nossa segunda fábrica aqui no Brasil, uma dais mais modernas do mundo, lançamos um produto diferenciado no mercado, o Maxifort. Ele contém elevado teor de clínquer altamente reativo e grau de finura adequado, garantindo desempenho superior e secagem rápida, ou seja, mais qualidade e praticidade a obra”, conclui Wanderson.

Sobre a Supremo Cimento
Fundada em 2003 em Pomerode (SC), a Supremo Cimento atua no setor de construção civil do Sul e Sudeste do Brasil, com os cimentos tipos CP II, CP IV e CP V. Faz parte do grupo português Secil, segundo maior grupo cimenteiro de Portugal. Conta com uma unidade em Adrianópolis (PR), com capacidade produtiva de 1,7 milhão de toneladas ao ano. Junto com a matriz, a companhia conta com capacidade produtiva de 2,1 milhões de toneladas ao ano. Possui centrais de concreto em Pomerode, Jaraguá do Sul, Joinville, Palhoça e Itajaí, todas em Santa Catarina.

Alguns cuidados são fundamentais para garantir o sucesso na aplicação da técnica. Imagem: Osvaldo Segundo Arquitetos Associados

Alguns cuidados são fundamentais para garantir o sucesso na aplicação da técnica. Imagem: Osvaldo Segundo Arquitetos Associados

Obra sem estresse: cinco cuidados que podem garantir a sua tranquilidade mesmo com reformas

Só quem já passou por essa situação sabe: nada mais desagradável do que lidar com inconvenientes que poderiam ser evitados no meio de uma obra. Seja na construção da casa, de um estabelecimento comercial ou mesmo em uma reforma, alguns cuidados acabam com a dor de cabeça típica desse momento.

Wanderson Araujo Alves, gestor técnico de vendas da Supremo Cimento, explica que o primeiro passo é focar na organização do espaço e garantir que tudo saia dentro do planejado. “Toda e qualquer obra requer planejamento. É através dele que se define não só as questões burocráticas, como no caso de licenças e outro tipo de documentação, como também a escolha de empresas e profissionais. Este é um passo fundamental para o início da execução de uma construção”, diz.

Para facilitar a rotina de quem vai encarar uma obra, Wanderson lista cinco cuidados que devem ser levados em conta:

Planejamento
Antes de colocar a mão na massa é preciso saber se o orçamento está de acordo com o que se espera fazer. Além disso, é preciso levar em conta que intercorrências podem acontecer, mas que ter sempre tudo muito bem detalhado facilita a resolução destes problemas.

Providenciar toda a documentação
Garantir que está tudo acertado com entidades como órgãos ambientais e a prefeitura é fundamental. Uma obra só pode começar depois que ela tenha o alvará e que ela esteja inscrita no INSS e no FGTS, para que os profissionais que irão atuar no projeto possam ser registrados.

Local adequado para armazenamento de materiais
Evitar desperdícios é o sonho de qualquer pessoa que esteja construindo. Além de onerar no orçamento, materiais mal armazenados causam atrasos e nem sempre podem ser utilizados na obra.

Escolha dos produtos
Contar com o tipo certo de cimento, por exemplo, é fundamental para o bom andamento da construção. Existem variados tipos e hoje em dia o mercado já conta com opções com secagem mais rápida, como o MAXIFORT, da Supremo, indicado para argamassas de revestimento e assentamento, argamassa estabilizada, concreto estrutural (lajes, vigas e pilares) e concreto magro.

Empresas parceiras
Escolher engenheiros, arquitetos e fornecedores traz mais tranquilidade durante o desenvolvimento do projeto. Além de ser uma segurança a mais contra atrasos na entrega de produtos.

Sobre a Supremo Cimento
Fundada em 2003 em Pomerode (SC), a Supremo Cimento atua no setor de construção civil do Sul e Sudeste do Brasil, com os cimentos tipos CP II, CP IV e CP V. Faz parte do grupo português Secil, segundo maior grupo cimenteiro de Portugal. Conta com uma unidade em Adrianópolis (PR), com capacidade produtiva de 1,7 milhão de toneladas ao ano. Junto com a matriz, a companhia conta com capacidade produtiva de 2,1 milhões de toneladas ao ano. Possui centrais de concreto em Pomerode, Jaraguá do Sul, Joinville, Palhoça e Itajaí, todas em Santa Catarina.

Contar com o tipo certo de cimento é um dos cuidados antes de iniciar uma obra. Imagem: Divulgação

Contar com o tipo certo de cimento é um dos cuidados antes de iniciar uma obra. Imagem: Divulgação

Supremo Cimento inaugura fábrica e aumenta produção para mais de 2 milhões de toneladas ao ano

Com sede em Pomerode (SC), a Supremo Cimento iniciou em abril uma nova etapa da sua história. A partir de agora a companhia conta com uma nova unidade de produção, localizada em Adrianópolis (PR), cidade onde fica também a jazida de calcário da companhia. A estrutura comportará a produção de mais de 1,7 milhões de toneladas de cimento ao ano, assim que atingir 100% da sua capacidade produtiva. Junto à matriz, a Supremo chegará a 2,1 milhões de toneladas ao ano.

Além de alta eficiência produtiva, a nova fábrica foi projetada para atuar com baixo consumo energético, além de cumprir todas as exigências dos normativos ambientais, contribuindo para um desempenho sustentável de excelência. Com ampla atuação nos estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul, a Supremo Cimento vai estender a sua operação para o Paraná e a região Sudeste.

Fundada em 2003, a Supremo Cimento atraiu em 2011 investimento externo do Grupo Secil, um dos dois principais produtores de cimento de Portugal e que tem também atuação no Líbano, Tunísia e em Angola. A companhia adquiriu metade do capital social da Supremo e alavancou o investimento de mais de 700 milhões de reais na nova unidade de Adrianópolis.

Evanilton Braga, diretor comercial da companhia, explica que o investimento foi motivado pelo crescimento que a construção civil brasileira tem conquistado nos últimos anos. “Acreditamos que o cenário do setor se mantenha favorável e que a construção civil volte a crescer nos próximos anos”, diz.

A unidade da Supremo Cimento no Paraná levou três anos para ser concluída e envolveu cerca de 1,5 mil trabalhadores em sua construção. Foram utilizados 60 mil metros cúbicos de concreto, 6,6 mil toneladas de aço de construção e 10 mil toneladas de aço em equipamentos e estruturas metálicas para dar vida ao empreendimento.

Produtos e estrutura
Os produtos oferecidos pela Supremo são: CP II-F-32, CP IV-32 RS, CP II-F-40 e CP V-ARI. Cada um atende a normativas específicas e é destinado para um determinado tipo de obra, satisfazendo a demanda de vários tipos de clientes.

No segmento Concreto, os itens oferecidos são: convencional, bombeável e especial. Mais de 80% dos produtos vendidos estão na modalidade bombeável. Para grandes obras, a Supremo dispões de bombas que têm de 23m a 32m de lança. Em Santa Catarina atende os principais mercados, como: Florianópolis, Itajaí, Balneário Camboriú, Região Metropolitana de Blumenau, Joinville e Jaraguá do Sul.

Supremo Cimento inicia operação em Adrianópolis. Imagem: Divulgação

Supremo Cimento inicia operação em Adrianópolis. Imagem: Divulgação

Evanilton Braga, diretor comercial da Supremo Cimento. Imagem: Daniel Zimmermann

Evanilton Braga, diretor comercial da Supremo Cimento. Imagem: Daniel Zimmermann

 

Supremo Cimento é novidade na Feicon 2015

A próxima edição do Salão Internacional da Construção, a Feicon Batimat, já tem data marcada. O evento acontece nos dias 10 a 14 de março em São Paulo (SP) e reúne os principais players do segmento de construção civil da América Latina. A Supremo Cimento, de Pomerode (SC) participa pela primeira vez da feira.

No portfólio da companhia estão os cimentos tipos CP II, CP IV e CP V. A Supremo, aproveita a oportunidade para apresentar a nova identidade visual da empresa e o empreendimento que está em fase de conclusão em Adrianópolis (PR). A nova fábrica, que conta com investimentos de R$ 700 milhões, tem previsão de atingir 100% da capacidade produtiva em 2017, chegando a 1,7 milhões de toneladas ao ano.

Evanilton Braga, diretor comercial da companhia, explica: “Iremos aproveitar a Feicon para mostrar aos nossos clientes e prospects a nossa nova marca, nosso projeto e os nossos produtos, bem como, como atuaremos neste mercado. Não podemos esquecer que apostamos em equipamentos de última geração, de grande eficiência energética, que garante sermos a mais moderna fábrica de cimento do país”, destaca.

Supremo Cimento aposta em nova identidade visual. Imagem: Divulgação

Supremo Cimento aposta em nova identidade visual. Imagem: Divulgação

Facebook
LinkedIn
Instagram