Receita holandesa resgatada e criações em parceria com alunos são destaques da Schornstein para o Festival Brasileiro da Cerveja

Participante do Festival Brasileiro da Cerveja desde a sua primeira edição, a Cervejaria Schornstein já faz parte da trajetória do evento. E para este ano, ela vai levar para o público um pedaço da história da cerveja. A marca relançou, em parceria com a Von Der Völke, uma bebida no estilo Koyt, receita que estava perdida desde o século XIV. O rótulo estará disponível para os visitantes durante a programação, que acontece de 13 a 16 de março, na Vila Germânica, em Blumenau (SC).

Outro destaque da cervejaria para o evento são as criações da Usina Schornstein. Session IPA, Belgian Blond Ale e Munich Dunkel, elaboradas pela marca em parceria com a Escola Superior de Cerveja e Malte (ESCM) poderão ser degustadas pelo público. Ainda entre as novidades, terá uma experimental no estilo Imperial Stout envelhecida em barril de carvalho.

As já conhecidas – e renomadas – cervejas de linha da Schornstein também estarão disponíveis. São elas: Pilsen, Weiss, Wittbier, APA, IPA, Imperial Stout, Imperial IPA e Bock Chocolate com Pimenta, última a integrar o mix da marca.

Para Adilson Altrão, diretor da Schornstein, é sempre marcante participar do evento. “O Festival Brasileiro da Cerveja faz parte da nossa história. Foi aqui que nos fortalecemos e mostramos para o público – principalmente os de fora do estado – a qualidade dos produtos. Neste novo momento, queremos ressaltar as inovações que estamos trazendo para o mercado, sem perder a essência da marca”, afirma.

Sobre a Schornstein
Uma das pioneiras da cerveja artesanal no país, a Schornstein surgiu em 2006 na cidade mais alemã do Brasil. O nome da marca significa chaminé, uma das características do prédio onde foi fundada. A matriz da cervejaria fica em Pomerode (SC).

Lá são produzidos os os rótulos IPA, APA, Bock, Weiss, Pilsen Natural, Pilsen Cristal, Stout, Witbier, Imperial IPA e Schornstein Soul.