Com o aumento do dólar, planejamento é a melhor opção para quem vai viajar

De acordo com o Banco Central, a moeda deve chegar a R$ 3,70 até o fim do ano. Especialista em turismo comenta algumas questões que devem ser levadas em conta na organização do roteiro.

Utilizado em boa parte das viagens ao exterior, o dólar não tem favorecido os brasileiros. De acordo com economistas consultados na pesquisa Focus, realizada pelo Banco Central, a previsão é de que a moeda, que antes deveria chegar a R$ 3,65, alcance R$ 3,70 até o fim do ano. Mas segundo o especialista em turismo da Tô Indo, Gelson Walker, a projeção é uma das ferramentas para se preparar para o embarque. “Ainda faltam alguns meses para o período mais esperado pelos viajantes: as férias. Por isso, é possível planejar esse momento com antecedência, principalmente para quem vai ao exterior”, diz. Ele destaca algumas questões que deverão ser levadas em conta na organização da viagem:

Compra antecipada
O planejamento ainda é a melhor opção, segundo Gelson. “Se você já tem em mente para onde quer ir, garantir a compra antecipada da viagem é a aposta certa. Além de conseguir o melhor preço, terá maiores alternativas em relação a hotéis e datas para reserva, e assegura possibilidades de parcelamento”, destaca. Outra questão fundamental é a pesquisa de valores de alimentação e compras, por exemplo. Para ter uma base de quanto será gasto, é importante levar em conta o valor do dólar já transformando ele em real, para ter noção de quanto as coisas realmente custam.

Pacotes completos
Na hora de definir a viagem, o custo dela como um todo deve ser avaliado. O que não adianta é escolher um destino por ser mais barato mas não se inteirar de gastos de passeios, passagens, hotéis e transporte para visitar os locais. “Uma alternativa é optar por pacotes que já incluem questões desse tipo. Além disso, dependendo da região escolhida, as moedas utilizadas podem ou não valorizar o real. Para que não tenha surpresas na hora de pagar alguma compra, contar com uma empresa especializada no assunto pode evitar dores de cabeça”, indica Gelson.

Orçamento detalhado
No caso de quem não fez a compra antecipadamente, a estratégia sugerida por Gelson é organizar as despesas em detalhes. “Uma dica é conversar com sua agência para que ela sugira destinos mais econômicos”, comenta. E a forma como você pretende pagar os gastos na viagem também é um fator que merece atenção, segundo Gelson. “Se a ideia é pagar certas coisas com o cartão de crédito, é preciso cuidado: os valores serão cobrados de acordo com a cotação do dólar no dia do fechamento da fatura. Lembrando também que para compras com cartão de crédito ou pré-pago no exterior, o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) é de 6,38%. Contar com uma consultoria especializada também pode facilitar essas questões, evitando que você e sua família tenham que abrir mão de passeios que queriam muito fazer, por exemplo ”, diz.

Sobre a Tô Indo Viagens
Chancelada pelos mais importantes fornecedores e instituições ligadas a viagens do país, a Tô Indo Viagens tem mais de 10 anos de atuação. Além do atendimento a empresas e viajantes, a marca trabalha ainda com eventos corporativos e com a comercialização oficial de espaços para marcas nos camarotes da Oktoberfest. Mais informações: www.toindoviagens.com.br.