Com representantes nos Estados Unidos e na Europa, Playmove mira exportação

Os desafios de evoluir as metodologias de ensino para formar cidadãos que absorvam conhecimento, tirem o melhor proveito possível da tecnologia e convivam com o ambiente contemporâneo é global. E foi a possibilidade de trabalhar tudo isso desde a primeira infância que despertou o interesse de representantes internacionais para a PlayTable, mesa digital com jogos educativos desenvolvida no Brasil.

A startup Playmove, que há três anos desenvolveu o produto, já fechou parcerias com representantes nos Estados Unidos e na Europa para que a mesa seja comercializada também nestas regiões. Os contratos foram assinados no final de 2016 e, desde então, a empresa já traduziu a maioria dos seus jogos para inglês e espanhol.

No Brasil, cerca de 800 escolas públicas e particulares já contam com a mesa digital, atingindo mais de 300 mil alunos. Clínicas, hospitais e entidades especializadas no atendimento de pessoas com deficiências psíquicas e físicas também utilizam a PlayTable. Outro segmento que também tem utlizado o produto é o de entretenimento, levando a PlayTable para restaurantes, locadoras de veículos, casas de festas, entre outros.

O diretor da empresa, Marlon Souza, comenta que a exportação estava nos planos e o interesse dos representantes motivou ainda mais essa busca pelo mercado internacional. “A educação tem motivado investimentos ao redor do globo, com governos e iniciativa privada buscando formas de tornar o ensino mais atual e ainda mais eficiente para o mundo contemporâneo. A PlayTable se apresenta neste contexto, como uma possibilidade de inserir a tecnologia na sala de aula de uma maneira produtiva e interessante para estudantes e professores, além de permitir o entretenimento de qualidade, que tanto interessa aos pais”, diz.

Mostras estrangeiras selecionam PlayTable
Só em fevereiro, dois eventos internacionais selecionaram o produto para exibições. A Feira Internacional de Brinquedos de Nuremberg (Spielwarenmesse), na Alemanha, escolheu a PlayTable para uma nova área temática, chamada de Tech2Play. Nela estão itens que os especialistas apontam como tendência mundial em relação à inovação. A PlayTable foi o único produto brasileiro na feira inteira

Já nos Estados Unidos, a PlayTable participou da Across Boundaries Conference, realizada pelo Learn Launch Institute. O evento, realizado nos dias 2 e 3 de fevereiro em Boston, reuniu mais de 2 mil educadores e outros especialistas ligados ao setor para discutir como impulsionar a inovação para transformar o aprendizado. ​Em janeiro deste ano, esteve ainda na Otronicon, em Orlando, que discute ciência, arte, tecnologia, carreiras e diversão atrás de simulação, robótica, videogames, realidade virtual e mídia digital.

Sobre a PlayTable
Criada para aliar tecnologia, educação e diversão, a PlayTable é uma mesa digital, interativa e multidisciplinar que pode ser utilizada por crianças a partir dos três anos de idade. Os jogos são criados a partir das matrizes curriculares e desenvolvem habilidades cognitivas e de coordenação motora, além de conteúdos como alfabetização, matemática, ciências, artes, história, entre outros.

A estrutura é segura e simples, o que permite que as próprias crianças façam o uso do equipamento sem a necessidade da intervenção de adultos. Graças à tecnologia empregada no produto, ele é recomendado para utilização em programas de inclusão com crianças com dificuldades psíquicas e motoras.​

Sobre a Playmove
Criada em 2014 em Blumenau (SC), a startup Playmove nasceu a partir da união de dois empreendedores das áreas de tecnologia e brinquedos educativos. O negócio deu origem a primeira mesa digital com jogos educativos do Brasil, a PlayTable. Foram três anos de pesquisa até que o dispositivo chegasse ao mercado. Em 2016 a startup recebeu menção honrosa na categoria Negócio de Impacto Social do Prêmio Empreendedor de Sucesso.