Especialista aponta cuidados na hora de planejar uma viagem com foco em cicloturismo

A modalidade que une a pedalada ao turismo é uma das atividades que ganhou muitos adeptos no Brasil, que segundo pesquisa de parceria da Abraciclo com a Rosenberg Associados, já possui mais de 70 milhões de bicicletas.

Presente em várias regiões do país, a prática modificou serviços de viagens, que incluíram pacotes pensados exclusivamente para os praticantes. De acordo com Gelson Walker, especialista em turismo e diretor da Tô Indo Viagens, diversas regiões do Brasil estão se tornando famosas por atrair apaixonados pela modalidade. O Vale Europeu, em Santa Catarina, por exemplo, é um deles. “A região cresceu muito através dessa atividade e já atrai apreciadores até de fora do país. Não só eles, como também pessoas que moram por aqui aproveitam para conhecer melhor as rotas para se fazer de bike”, diz.

Segundo Gelson, esse tipo de viagem tem particularidades indispensáveis que precisam ser observadas tanto pelo viajante quanto pela empresa que organiza um roteiro. “A ideia desse momento é justamente aliar o prazer da pedalada com a excursão, e o que ninguém quer é chegar ao seu destino e não poder aproveitar o que estava planejado por conta de alguns descuidos. O despacho dos materiais é uma questão. Ele deve ser feito com muito cuidado, e é importante que turistas de primeira viagem contem com o apoio de especialistas em turismo para evitar prejuízo aos equipamentos”, destaca.

Já em relação ao roteiro, o executivo alerta para a importância na decisão da estrutura de hospedagem e a própria região escolhida para o pedal. “Hotéis que possuam uma estrutura segura para acomodar as bikes durante a noite são ideais. Pensar detalhadamente no caminho percorrido em duas rodas, claro, é fundamental. Em muitos casos o praticante vai fazer longos trajetos, em estradas pouco movimentadas. Saber exatamente o que será feito e por onde passará é essencial para garantir a tranquilidade dos envolvidos. As agências de viagens, na hora de montar os pacotes, já levam em consideração os objetivos do turista e as particularidades desse tipo de roteiro”, comenta o especialista.

De acordo com Gelson, alguns locais já se tornaram destaque e ficaram famosos no mundo do ciclismo. “O Cânion Guartelá, no Paraná, que é considerado o sexto maior do mundo e a Serra do Rio do Rastro, em Santa Catarina, com 8,1 mil metros a uma altitude de 1,4 mil metros acima do nível do mar. Outra opção, já no exterior, é o Peru, em que há rotas que vão de Chinchero, a 40 km de Cusco, de onde os praticantes seguem rumo às ruínas de Machu Picchu”, finaliza.

Sobre a Tô Indo Viagens
Chancelada pelos mais importantes fornecedores e instituições ligadas a viagens do país, a Tô Indo Viagens tem mais de 10 anos de atuação. Além do atendimento a empresas e viajantes, a marca trabalha ainda com eventos corporativos e com a comercialização oficial de espaços para marcas nos camarotes da Oktoberfest. Mais informações: www.toindoviagens.com.br.