[27/08/2013] Ex-aluna participante do SCMC lança marca voltada para quem escolhe a bicicleta como meio de transporte

Uma marca de roupas que segue tendências e, ao mesmo tempo, é prática para quem gosta de viver sobre duas rodas. Num resumo extremamente simplista, este é o conceito da Cycleland (www.cyclelandstore.com.br). Naly Cabral, uma das criadoras da marca, integrou, em 2011, o time criativo da Udesc + Marisol do Santa Catarina Moda e Cultura (SCMC).

Durante o processo de criação das peças para o evento final, Naly conseguiu explorar o seu lado criativo e ganhar confiança para expor e investir nas suas ideias. “Quando você participa do SCMC, acaba aprendendo a contribuir com as suas referências, mesmo lidando com pessoas que têm mais vivência de mercado do que você. A intenção é trocar e acho que isso ficou muito claro pra mim. Ganhei autoconfiança”, comenta.

A entrada no SCMC foi esperada ansiosamente tanto por ela quanto pelos outros alunos da Udesc. “Por toda aquela exposição e participação no evento final, participar do projeto era, mais ou menos, como estar numa grande semana de moda”.

Depois dos resultados da coleção desenvolvida em parceria com a equipe criativa da Marisol, Naly focou no seu trabalho de conclusão de curso. Juntou a criatividade aflorada com o gosto pelas bicicletas, inspirou-se no movimento Cycle Chic e desenvolveu peças conceituais para quem anda sobre duas rodas por opção.

Deu tão certo que o próprio criador do movimento, Mikael Colville-Andersen, curtiu o vídeo conceito da marca. “Esse foi outro ganho do SCMC. Com a experiência do Jackson Araujo e da Luca Predabon, entendemos um pouco mais da importância de usar outras mídias para explorar os diferenciais da coleção. Foi graças a esse aprendizado que fizemos o nosso fashion film e que ele chegou tão longe”.

O impulso para a criação da Cycleland
Depois do TCC, Naly passou três meses entre Londres e Amsterdã, duas cidades que respiram o andar sobre duas rodas. Voltou determinada a abrir o seu próprio negócio junto com o namorado, o designer gráfico Rafael Afonso. A soma da confiança que ganhou no SCMC, o sucesso do TCC, a observação de mercado e o desejo de produzir peças para quem se movimenta de bicicleta por opção acabou influenciando a criação da Cycleland.

A marca tem referências urbanas e traz pequenas adaptações como, por exemplo, aberturas, fendas e detalhes reflexivos que, durante o dia, são quase invisíveis, mas fazem a diferença para quem anda de bicicleta à noite. “A ideia é unir moda a esse perfil: pessoas que usam as bicicletas por opção”, diz.

Por conta destes cuidados com os detalhes, Naly diz que qualquer um pode utilizar as peças da Cycleland, mesmo que não utilize a bike. “É bom lembrar que não é uma roupa fitness. São peças que facilitam para quem usa a bicicleta e estimulam quem ainda não tem esse hábito”, comenta.

A última coleção da Cycleland é inspirada na fotógrafa Luciana Afonso, que visitou seis países durante uma viagem de três anos, utilizando apenas a bicicleta. São 13 peças, com, no máximo, 20 unidades de cada modelo.

A importância da Cycleland para o SCMC
Para Paula Cardoso, da gestão executiva do SCMC, esse é um dos exemplos que motivam a realização do Inteligência Compartilhada. “Os associados ao SCMC são empresários conscientes de que, quando abrem as suas empresas para que estudantes e equipes de criação trabalhem juntos, todos saem ganhando”, comenta.

“Temos orgulho não só da Cycleland, que é uma marca realmente inovadora, mas também de todos os alunos que passaram pelas nossas empresas e hoje são profissionais com os olhos mais atentos à inovação. É só através da educação e do despertar destes talentos para os nossos diferenciais que faremos Santa Catarina atingir o patamar que ela merece”, acrescenta.

Sobre o SCMC
O Santa Catarina Moda e Cultura (SCMC) é um projeto que, através de programas de atualização, capacitação, interação e networking, busca fomentar o mercado de moda e design de Santa Catarina.

As empresas participantes são Altenburg, Audaces, Brix Jeans, Cia. Hering, Círculo, Dalila Têxtil, Daniela Tombini, Digra, Dudalina, Fakini, HI Etiquetas, Hoepcke Bordados, Karsten, Kyly, Lancaster, Marisol, Modus.Org, Oceano, Printbag, Tecnoblu e Von der Völke.

Juntas, as 21 associadas faturaram em 2012 R$ 4,2 bilhões e empregam cerca de 25 mil pessoas. As sedes das companhias estão divididas entre dez cidades: Blumenau, Caçador, Camboriú, Florianópolis, Gaspar, Jaraguá do Sul, Joinville, Pomerode, Rio do Sul e São José.

SCMC - 130827 - Cycleland (Adriano Carvalho) 2
Foto: Adriano Carvalho