Melz Assessoria de imprensa

Fakini Malhas lança programa para contratação de pessoas com deficiência e aposentados
30/07/2014

A Fakini Malhas, de Pomerode (SC), está sempre atenta às atividades que envolvem a comunidade. Além da contribuição com a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) da cidade, a empresa implanta no início de agosto o Fakini Social. O intuito do programa é contratar profissionais com deficiências e também aposentados para o quadro de colaboradores da companhia, visando inclusão e integração destas pessoas.

“A nossa ideia é contribuir no desenvolvimento desses cidadãos que têm habilidades para o trabalho, além de auxiliar em sua renda e integrá-los a sociedade”, explica o gerente de recursos humanos da Fakini, Vilson Duarte. Num primeiro momento serão contratadas oito pessoas, entre deficientes e aposentados. Com uma carga horária de quatro horas diárias (7h30min às 11h30min), os novos colaboradores terão todos os treinamentos e acompanhamentos do setor para onde serão designados.

“Para essas novas vagas, a Fakini criou um local apropriado onde serão feitas as atividades manuais e com máquinas mais simples, evitando que pequenos transtornos aconteçam”, comenta.

De acordo com Vilson, a ideia é que a cada ano a Fakini possa contribuir com as questões sociais do município. “Escolhemos a implantação desse projeto, pois acreditamos que nosso objetivo como empresa vai muito além da produção e venda dos produtos: queremos participar e dar oportunidade para as pessoas da nossa comunidade, auxiliando no desenvolvimento e crescimento pessoal”, conclui.

Sobre a Fakini
Localizada em Pomerode (SC), a Fakini Malhas completa 20 anos em 2014 com uma capacidade instalada de 1 milhão de peças ao mês. Esta produção ocorre para itens com a marca da Fakini e licenciados, como a Pepsi Cola Clothing no Brasil.

O objetivo do projeto é contratar profissionais com deficiência e também aposentados para o quadro de colaboradores da empresa. Imagem: Luiz Gama Junior

O objetivo do projeto é contratar profissionais com deficiência e também aposentados para o quadro de colaboradores da empresa. Imagem: Luiz Gama Junior