Inad 2015 alerta para o problema da poluição sonora causada pelo trânsito

Vista como uma questão de saúde pública, a poluição sonora é a terceira causa que mais afeta o meio ambiente, ficando atrás apenas da poluição dos rios e ar, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). E quem mora em cidades de médio e grande porte sabe que o trânsito é um dos grandes vilões que contribuem para o aumento do problema. Por isso o Dia Internacional da Conscientização sobre o Ruído (Inad), que acontece nesta quarta-feira (29) concentra os esforços em chamar a atenção da população e órgãos públicos para a questão. Entre outras atividades, o evento através de empresas apoiadoras faz 60 segundos de silêncio, às 14h25min.

Em Santa Catarina o Inad conta com patrocínio da Weiku do Brasil, de Pomerode. A empresa é especializada em janelas e portas de PVC e busca, através dos produtos que comercializa, auxiliar na redução dos problemas. As peças da companhia isolam em até 35 decibéis os sons externos. “Acreditamos que mudanças estruturais, sejam em residências ou ambientes comerciais ajudam a reduzir os malefícios do excesso de ruído. Este é apenas um passo para a busca por mais qualidade de vida”, explica Michael Lochner, gerente de marketing da companhia.

O Dr. Stephan Paul é coordenador do Inad no Brasil e destaca que a escolha do tema deste ano aconteceu devido ao grande número de reclamações referentes aos ruídos de trânsito. “Este é um dos grandes problemas no país. Por isso a coordenação nacional, junto com as estaduais, está trazendo propostas de atividades voltadas ao assunto. O Inad já acontece há anos no mundo todo e está no Brasil desde 2008”, explica. Dr. Stephan, que é professor de engenharia acústica, diz que atualmente existem diversas ações relacionadas ao tema e que o movimento é responsável por unir empresas e profissionais sob uma mesma ótica. “Neste sentido, a parceria com a Weiku é muito importante, por se tratar de uma empresa com papel fundamental em trazer soluções para reduzir o problema dos ruídos externos”, conclui.

Problemas causados pelo ruído
Uma pesquisa da Universidade Federal do Paraná (UFPR) realizada em 2007 em Curitiba mostrou que em apenas 7% das residências os ruídos estavam abaixo de 40 decibéis. Em 86% das casas, eles eram superiores a 65 decibéis. O barulho externo, apontou o estudo, altera a constância do ruído interno, o que afeta a qualidade de vida dos moradores. Entre os danos causados pelo problema estão irritabilidade, baixa concentração, insônia e dores de cabeça. Dos entrevistados pela universidade, 95% estiveram em consulta médica por causa do problema.

Michael afirma que empresas ligadas tanto à construção civil como profissionais e autoridades precisam se mobilizar pela causa. “Além de oferecer produtos como as janelas da Weiku, que melhoram a rotina dos moradores ou funcionários, é preciso se pensar em práticas para aperfeiçoar a mobilidade urbana. Todos nós podemos fazer algo para reduzir este problema”, finaliza o gerente.

Sobre a Weiku
Fundada em 1998 em Pomerode (SC), a Weiku do Brasil é especializada em janelas e portas de PVC e seus produtos oferecem vantagens como durabilidade, isolamento térmico e acústico, vedação e segurança, além do design. Com produção totalmente verticalizada, todas as peças são feitas sob medida, de acordo com a necessidade de cada cliente.

Os produtos possuem 10 anos de garantia para os perfis de PVC. Atualmente, a Weiku possui um parque fabril de 7 mil metros quadrados em Pomerode (SC), filial em Campinas (SP) e conta com uma equipe de 250 profissionais atuando nas regiões Sul e Sudeste do Brasil.

Inad 2015 alerta para os malefícios dos ruídos de trânsito. Imagem: William Fonseca com apoio de Fernanda Coronado
Inad 2015 alerta para os malefícios dos ruídos de trânsito. Imagem: William Fonseca com apoio de Fernanda Coronado
Weiku do Brasil aposta em janelas e portas com isolamento termoacústico, que trazem mais qualidade. Imagem: Daniel Zimmermann
Weiku do Brasil aposta em janelas e portas com isolamento termoacústico, que trazem mais qualidade. Imagem: Daniel Zimmermann