Inspirações da nossa rotina: dicas de conteúdo da equipe da Melz

A comunicação impacta absolutamente todas as pessoas que vivem em sociedade. E, para nós, que respiramos conteúdo, estratégia e divulgação, consumir informação é fundamental. Por isso, esta semana decidimos compartilhar algumas das inspirações da nossa equipe para a rotina de trabalho, resultado e entrega que temos por aqui. 

Cada um selecionou, sem nenhum critério de formato, aquele conteúdo que sempre dá um gás na criação, ilumina os desafios e traz mais certeza na hora de apresentar um conteúdo. Se inspire também!

Beatriz Tontoni indica o curta da Roundhouse

Sempre que eu preciso de um pouco de inspiração eu assisto o curta da Roundhouse. Para comemorar os 15 anos da agência, eles enviaram um redator para passar cinco dias no meio do mato. Na bagagem? Somente os produtos dos clientes. Para os criativos, é uma reflexão super válida sobre viver a marca dos nossos clientes para realmente entregar um trabalho relevante e de valor.

Bruno Stolf indica o Humans of New York

Um exercício quase diário que faço e que sinto que me ajuda tanto na vida pessoal quanto profissional é parar e ler com calma os posts da página Humans of New York. Desde que conheci, senti que há duas lições importantes pra se tirar das publicações. A primeira é que ninguém é o que parece e sempre há espaço para empatia. E na comunicação e na vida, empatia é essencial. A segunda é que se você conseguir estabelecer um vínculo com uma pessoa, ela pode se abrir com você e te contar grandes histórias que, por sua vez, inspiram a criar as suas próprias.

Carol Sperb indica a fanpage da a-go-go, writers

Eu fiz o curso de redação criativa I da a-go-go, writers em 2015. Não conhecia muito bem a escola, nem a proposta, mas alguma coisa me disse que deveria fazer. E foi uma verdadeira descoberta. Mais do que um manual de escrita, a aula falava sobre ser livre, sobre escrever com a alma e com o coração. Desconstruir a produção de conteúdo como-quando-porque para criar uma nova forma de comunicar, de contar uma história. Nas redes sociais da escola, uma nova descoberta: mensagens positivas, textos libertadores, ideias inovadoras. Mais uma vez alma e coração. A escrita como um abraço. Sem propagandas óbvias daquelas “hey, faça meu curso” e muito conteúdo bacana que nos mostra que é possível sim comunicar sem sair do contexto, mas fugindo do óbvio. E sim, precisamos de palavras bonitas pra nos inspirar.

Cláudia Boehringer indica o podcast Mamilos

Aulas e mais aulas sobre pensamento crítico e humanidade, o Podcast Mamilos oferece o jornalismo além dos portais de comunicação. Dentro de mais de 100 podcasts sobre todos os assuntos imagináveis, a dupla discute com cabeça aberta e empatia a pauta da semana, demonstrando diversos pontos de vista, sem bater o martelo e sem polarizar a discussão. Uma forma tranquila de se informar e discutir assuntos relevantes (mesmo que com você mesmo).

Marina Melz indica o TEDxTalk de Simon Sinek

É óbvio e quem é fã do TED como eu já assistiu. Mas às vezes eu revejo a apresentação do Simon Sinek pra reforçar essa crença: comunicar o propósito é o que mais importa, definir por que os nossos negócios existem é tão importante quanto ser competente para realizar as entregas. É um vídeo que guia algumas das estratégias que desenho e como vejo o futuro da Melz e dos nossos clientes.

Sabrina Hoffmann indica o portal Razões para Acreditar

Todos os dias, em algum lugar desse país e do mundo, tem gente fazendo a diferença. Seja cuidando de quem mais precisa, criando uma gestão humanizada nas empresas, zelando pelo futuro dessa nova geração que está chegando. Apesar de todas as coisas ruins que acompanhamos, também não faltam notícias boas e basta um olhar mais atento pra que a gente possa ver o copo meio cheio.

O portal Razões Para Acreditar é uma dessas iniciativas que nos dá uma dose diária de esperança na humanidade. A gente sempre acreditou em boas notícias e eu me inspiro nas histórias que encontro nesse portal e em cada cliente para comunicar o que há de melhor neles, mostrando que podemos, sim, fazer do lugar onde vivemos um espaço cada dia melhor.