Mais de 45 pessoas com deficiência participarão de corrida de rua na capital catarinense

Esporte, solidariedade e inclusão. Estes serão aspectos muito presentes em uma corrida de rua que será realizada na capital catarinense, no dia 25 de novembro. Dos cerca de 5 mil inscritos na Meia Maratona Internacional Mormaii de Florianópolis, 47 são cadeirantes, deficientes visuais e intelectuais. Eles farão os percursos de 5k, 10k e 21k acompanhados por corredores-guia. A iniciativa acontecerá graças à parceria da Corre Brasil, organizadora do evento, com o Instituto Paulo Escobar e os projetos Pernas Solidárias e Sexto Sentido.

Para Ricardo Ziehlsdorff, diretor executivo da empresa, esta ação só comprova o quanto o esporte é capaz de transformar vidas. “A integração, socialização e o sentimento de superação que a iniciativa proporciona tanto para quem participa da prova, como para quem assiste é indescritível. E é isso que queremos passar: o quanto a atividade física é fundamental para a rotina, trazendo mais qualidade de vida e bem-estar”, afirma.

Paulo Escobar, responsável pelo instituto homônimo, comenta que essa parceria se tornou um incentivo para os integrantes da entidade. “Desde que começaram a participar das provas, muitos deles diminuíram o uso de medicamentos, estão mais dispostos e felizes. O esporte realmente mudou a realidade dessas pessoas. E a Corre Brasil, sempre com um cuidado especial que vai desde a largada até a premiação, torna isso possível”, diz. Nesta edição, serão 33 corredores que participarão do evento.

Já para Rosângela Alexandre Laurindo, corredora-guia integrante do Sexto Sentido, proporcionar este momento para os atletas é essencial. “Eles treinam como qualquer outra pessoa, têm objetivos e metas, mas até pouco tempo atrás não contavam com uma estrutura apropriada para participar destes eventos. Há dois anos a Corre Brasil está proporcionando isso e observamos melhora na convivência em sociedade e na família, além da autoestima, tornando-os mais organizados e disciplinados. Sem contar na inclusão e socialização, que faz com que se sintam parte da sociedade”, comenta. Ao todo, 12 deficientes visuais farão a prova, acompanhados de 12 corredores-guia.

Além destas entidades, o projeto Pernas Solidárias, de Joinville (SC), também estará presente com dois cadeirantes. Um deles é o Eduardo Luiz Gonçalves, que fará o percurso de 21k com os guias Acácio Muller e Felipe Nascimento de Araújo. Portador de uma doença chamada atrofia muscular espinhal (AME), ele faz parte do projeto há mais de um ano. “Estou muito ansioso para participar desta prova”, diz. Para Cleiton Luiz Tamazzia, idealizador do Pernas Solidárias, a Corre Brasil tem um papel fundamental para estes corredores especiais. “Eu considero um ato de amor o que eles fazem. O fato de acolherem e se preocuparem com essas pessoas é de extrema importância. Não se trata apenas de inclusão e, sim, fazer isso com alegria e excelência”, afirma.

Sobre a Corre Brasil
Há mais de 10 anos a Corre Brasil realiza eventos de corridas rústicas de 5k e 10k, meias maratonas, corridas noturnas e também provas personalizadas em Santa Catarina. Já foram mais de 120 provas em nove cidades diferentes do estado. Nelas, competiram mais de 100 mil corredores profissionais e amadores.

Entre elas estão a Meia Maratona de Pomerode, a Meia Maratona Internacional de Florianópolis e a Balneário Camboriú Night Run. Para 2019, mais de 10 provas já estão programadas em todo o estado. Cinco estão com inscrições abertas no site www.correbrasil.com.br.