Melz faz nove: o ano de falar sobre empatia

Marina Melz
Fundadora da Melz, às vezes chamada de Melz

A escolha do tema para o aniversário da Melz é sempre uma missão saborosa. Olho para o que acontece da porta pra dentro e observo os vários contextos onde estamos inseridos até encontrar um ponto de convergência, que simbolize o que aprendemos em 12 meses e queremos levar para o restante da nossa vida. É, ao mesmo tempo, um resumo e uma prece.

Em 2017, falamos sobre cores. Vivíamos um momento intenso, de energia e vitalidade como nunca antes. Em 2018, falamos sobre combinações e sabores, antecipando desafios e já tratando sobre a conexão entre vários elementos diferentes (abacaxi com pimenta? Com alecrim? Com açúcar? Sim!).

Chegamos a 2019 para falar sobre empatia e gentileza. São tantos os porquês que nem é preciso explicar. Mas o principal motivo, que, pra nós, reúne todas as razões é: a comunicação afetuosa é feita a partir da empatia. E é isso que queremos fazer. Em qualquer mídia, formato ou plataforma.

A identidade da campanha foi desenvolvida pela pen.ag.

A construção de legado acontece pela empatia. Uma marca é amada pela conexão que estabelece com o público. E isso só acontece porque elas entendem a realidade de quem as consome, sabem das suas dores, antecipam as suas demandas.

O mesmo ocorre nos veículos. Independentemente da plataforma: é ter uma escuta ativa para a audiência, os seus quereres e saberes, que faz com que uma programação seja relevante.

A falta de empatia inviabiliza a comunicação. Sem um olhar dedicado, humilde e compreensivo sobre o outro, chegamos a esse cenário em que todo mundo fala e ninguém se ouve.

Chegamos aos nove anos mais conscientes do que nunca sobre o que comunicamos e a responsabilidade que vem com o poder de transformar a vida das pessoas (seja um sorriso num segundo, uma sensação boa durante um minuto, uma troca intensa de horas, dias ou anos).

Como símbolo de empatia e gentileza, exercitamos a escuta: uma das frases mais faladas e ouvidas pelo nosso time é “vamos tomar um café?”. E nosso símbolo não é um café qualquer.

O Soul Cafés & Companhias nos trouxe um sabor único e com uma história que tem tudo a ver com o que acreditamos. O café 100% conilon, da Fazenda Venturim, é de uma espécie até pouco tempo desprezada pelo universo do café. Isso mudou quando essa família do Espírito Santo, junto com a torrefação blumenauense, passou a dedicar carinho e cuidado para ela.

Muita pesquisa, fermentações acompanhadas e diferenciadas depois, temos um café extremamente aromático e criado para ser degustado. O resultado: o conilon, antes usado apenas dar corpo a cafés arábica, começa a ganhar notoriedade. Este mesmo café, além dos nossos clientes e na firma, está disponível no espaço que fica na Alameda de Serviços do Ibiza Trade & Financial Center (Rua Dr. Léo de Carvalho, 74 – Velha).

Estamos certos de que, para seguirmos em frente como humanidade e darmos voz a marcas que somam com o mundo, precisamos falar de empatia e de gentileza. O futuro – que em muitos casos já chegou – trará máquinas que darão conta de processos, encaixes, números. Mas nada substitui a beleza do olhar de um humano sobre o outro.

Hoje fazemos nove anos. Sobram agradecimentos, faltam palavras. Fica a certeza: nunca falamos sobre um tema tão urgente, necessário e profundo. Que o novo sempre venha!

Facebook
LinkedIn
Instagram