Melz Assessoria de imprensa

Pauta, release ou artigo? Os três!
28/07/2016

[Sabrina Hoffmann, editora]

Você já deve ter se perguntando qual seria a melhor forma de abordar determinado assunto do seu negócio na mídia. A assessoria de imprensa é dinâmica e trabalha com diferentes formatos, justamente para aproveitar todas estas oportunidades.

Existem três tipos de abordagens utilizadas frequentemente na veiculação das notícias das empresas e hoje vamos mostrar quando e porque utilizar cada uma delas.

A mais conhecida é o release, que nada mais é do que um texto jornalístico que fala sobre determinado assunto. Pode ser o lançamento de algum produto ou serviço, o balanço ou uma mudança na organização ou até mesmo um case de um cliente seu. Este material precisa responder a algumas perguntas fundamentais já nos primeiros parágrafos: quem, como, onde, quando e por que. As respostas no início do texto são chamadas de lead, ou seja: contam com as principais informações sobre o assunto.

Mas você não precisa decorar todos estes termos técnicos para entender o motivo da assessoria de imprensa trabalhar com o release. Ele é uma forma prática e rápida de noticiar algo, além de entregar ao jornalista de redação um material bem elaborado e com informações fundamentais.

Importante lembrar: o jornalista que recebe o release pode mudar o texto antes de publicar, desde que não altere os fatos. O assessor irá fazer um levantamento dos veículos mais indicados para a divulgação deste material. Nem todos os veículos utilizam os releases que recebem: alguns só dão conteúdo exclusivo ou em primeira mão.

Outro formato bastante utilizado no trabalho da assessoria é o envio de sugestões de pauta. Aqui, o trabalho acontece de forma um pouco mais informal e trata-se da proposta de um tema que envolva os clientes, para determinado veículo. O assessor troca informações e dados com o jornalista da redação e ”vende” determinado assunto, para, posteriormente, conseguir entrevistas para a sua empresa. Por exemplo: a exportação no segmento têxtil, o crescimento do mercado cervejeiro artesanal ou o aumento das vagas de trabalho em determinada região.

Não esqueça: neste caso você não aprova o conteúdo enviado e na maioria das vezes a matéria ouve mais de uma empresa ou profissional. Você ou o seu negócio serão um dos cases ouvidos dentro de um assunto mais amplo.

Por último, mas não menos importante, está o artigo. Ele está em alta e muitas empresas adotam o texto opinativo como forma de se posicionar no mercado. Este material pode ser escrito pelos próprios gestores ou pelo assessor, com base nas opiniões do assessorado. É utilizado em veículos online e impressos, com espaços destinados exclusivamente às opiniões.

Grave aí: o artigo é, obrigatoriamente, a opinião de alguém sobre determinado assunto. Precisa ser assinado e, se for destinado a um veículo específico, pode ter um tamanho pré-definido, geralmente pelo número de caracteres.

Ficou com alguma dúvida ou quer saber mais sobre a forma de atuação de uma assessoria de imprensa? Vem tomar um café com a Melz que a gente explica mais!