Melz Assessoria de imprensa

Por que não há resposta mágica para quanto investir em redes sociais
25/05/2017

[Bruno Stolf, que gerencia os investimentos dos clientes da Melz nas redes sociais]

Quando empresas começaram a entrar nas redes sociais, houve muito receio. “Será que vale a pena? Será que preciso estar lá?” foram perguntas de muitos aventureiros. Com a conclusão de que sim, era uma ótima ideia ter uma presença digital, veio a fome de querer mais. Muitas redes, quase que uma necessidade de onipresença digital. “Alcançar futuros clientes de graça? Bora entrar no Face, Insta, Twitter, G+, LinkedIn, tudo!” Mas o algoritmo não perdoa. Logo veio uma segunda realização: a de que o orgânico não dura pra sempre ou nem sempre é suficiente. Hora de investir. E aí surge uma das perguntas que mais escuto de clientes novos: quanto investir? A resposta é sempre a mesma, sem exceção: temos que avaliar.

“Eu só queria investir….”

É chato, eu sei. A ideia era eu dizer “vamos investir X” e seria sucesso garantido. Mas não é tão simples assim. Há, pelo menos, duas formas de se criar uma campanha. A primeira é ter um orçamento definido e ver o que é possível fazer com ele. Mas quando não foi decidido um orçamento ainda, é preciso ter um objetivo muito claro e a partir dele pensar na execução.

Alguns fatores que precisam ser definidos e vão influenciar no orçamento necessário para uma campanha estão presentes na segmentação.

Planejamento e execução
Qual será a abrangência geográfica? No Facebook, por exemplo, os anúncios são distribuídos em um sistema de leilão. Ou seja, anunciar em São Paulo provavelmente será um investimento maior em relação à Blumenau, já que a concorrência pelo mesmo público-alvo pode ser maior e o valor do lance, também.

Anunciando em grandes centros

Outro ponto que conta é se o cliente deseja anunciar um serviço ou produto, pois há de se considerar a concorrência na plataforma e também a dificuldade de foco. Anunciar um hambúrguer pode ser mais fácil do que uma solução automatizada para controle de gastos em empresas de prototipagem 3D.

Em busca da campanha perfeita
Assim que todas essas perguntas são respondidas, um público-alvo foi pensado e existe uma estimativa de resultados para se alcançar, restará uma última ação, que normalmente é a mais importante: o teste. O digital e as métricas nos trouxeram algo incrível, que é a mensuração, e por isso é preciso testar, testar e testar novamente para chegar naquele ponto quase perfeito de custo x benefício em qualquer campanha que for.

“Bora testar!”

Investir rápido e muito pode até surtir algum efeito, mas nós sempre almejamos por entregar o maior resultado pelo menor investimento. E aí voltamos àquela velha fórmula: barato, bom e rápido. Um desses fatores precisa sair. Qual você vai escolher?

¯\_(ツ)_/¯

Outras publicações que podem te interessar aqui no blog da Melz:
– Ideologia e posicionamento: sua marca está preparada para isso?
– E o meu retorno de mídia, como está?
– Três tipos de influenciadores digitais e como a sua marca pode interagir com eles
– Marketing de conteúdo: uma relação de proximidade e interação com o público