Melz Assessoria de imprensa

Santa Catarina Moda e Cultura e Estúdio Elaiá promovem encontro para discutir a nova economia na moda brasileira
14/10/2014

Debater as mudanças que a economia e a moda brasileira estão passando e buscar novas soluções para atingir a geração Z, que em breve chegará ao mercado. Foi essa a ideia proposta pelo último Experience, programa do Santa Catarina Moda e Cultura (SCMC) que propõe encontros entre empresários e profissionais das empresas associadas. Esta edição aconteceu na última sexta-feira (10) e o anfitrião foi o Estúdio Elaiá, apresentado em primeira mão para o grupo.

Toda a programação, que aconteceu no jardim do Elaiá, foi conduzida por Bruno Hansen, idealizador do empreendimento e proprietário do grupo Agá, que engloba ainda a Digra, empresa de gravação de cilindros para estamparia que integra o SCMC.

“Nós tivemos que parar para ouvir o nosso consumidor, ver o que ele realmente queria. A moda brasileira tem uma identidade muito forte e trazer estampas do exterior não condiz com as necessidades dos nossos clientes”, contou, durante a apresentação da Digra e do processo de criação do Elaiá, estúdio focado na criação de estampas exclusivas inspiradas nos consumidores brasileiros.

“Percebemos a importância de criar algo novo, que atendesse a essa nova economia. O nosso estúdio é focado em processos e produtos para a geração Z, que em breve chegará ao mercado e que quer mais inovação, valorização, novas experiências e valores”, enfatizou.

Novos conceitos para a geração Z
Diferente das empresas tradicionais, o Elaiá não possui missão, mas sim objetivos e atitudes. “O Elaialize (torne-se relevante), Embrazilere a passarela (leve a moda brasileira para o mundo), Assine (assuma seus erros e acertos), Humanize as engrenagens (valorize sempre as pessoas) são algumas das atitudes e conceitos que o Elaiá adotou. Nosso objetivo é ser feliz, pois acreditamos que o que é feito com prazer nos traz muita alegria. É nisto que o nosso consumidor acredita e é este o foco da geração Z”, explicou o empresário durante a palestra.

Após a apresentação, um debate sobre a nova economia deu sequência à programação. Os participantes falaram sobre a importância da união das empresas em prol do crescimento da moda no estado e do fortalecimento da cultura catarinense neste segmento.

Para o presidente do SCMC, Claudio Grando, novos modelos de negócios, que se propõem a romper paradigmas, como o Elaiá, são a prova de que o movimento está no caminho certo. “O estúdio é um case do SCMC. O Bruno absorveu de maneira única o que nos propomos a fazer e mostra como é fundamental investirmos na moda brasileira e levar ela para o mundo”, enfatizou.

Sobre o SCMC
O SCMC está no ano 9 e reúne 17 empresas e entidades de ensino que acreditam que é possível, através da descoberta de uma identidade de moda e design, agregar valor aos itens produzidos em Santa Catarina. Juntas, estas empresas faturam mais de R$ 4,1 bilhões e empregam 25 mil pessoas.

São elas: Altenburg, Audaces, Cia. Hering, Círculo, Dalila, Daniela Tombini, Digra, Dudalina, Fakini, HI Etiquetas, Karsten, Lancaster, Marisol, Meu Móvel de Madeira, Oceano, Printbag e Tecnoblu.

Bruno Hansen (Grupo AGÁ), Claudio Grando (Audaces), Rui Hess de Souza (Karsten), Amélia Malheiros (Cia. Hering) e Guiliano Donini (Marisol) debatem a nova economia. Imagem: Paula Cardoso

Bruno Hansen (Grupo Agá), Claudio Grando (Audaces), Rui Hess de Souza (Karsten), Amélia Malheiros (Cia. Hering) e Guiliano Donini (Marisol) debatem a nova economia. Imagem: Paula Cardoso

Experience aconteceu no jardim do Estúdio Elaiá. Imagem: Paula Cardoso

Experience aconteceu no jardim do Estúdio Elaiá. Imagem: Paula Cardoso