Melz Assessoria de imprensa

Super Conflitos
08/04/2016

Por Roberto Vilela, consultor da Mega Empresarial

O ambiente corporativo em alguns casos, costuma ser inóspito, agressivo e muito desafiador. Confrontos por espaço, oportunidades, status e ego, são frequentes e muitas vezes geram embates intensos e tensos. Podemos acrescentar ainda o reflexo de um mercado instável e repleto de incertezas, frutos de manobras políticas e econômicas questionáveis e mal sucedidas.

Temos assim, um paralelo claro com a sombria e caótica cidade fictícia de Gotham, palco do conflito do século entre Batman e Superman. Dois heróis complexos, com histórias marcantes e egos proporcionais aos seus super poderes.

A batalha entre estes heróis da ficção vai muito além do ato singelo de decidir quem é o mais forte ou poderoso. Na realidade, podemos observar uma série de características que se assemelham com os gestores empresariais inebriados pelo sucesso e obstinados pelo poder pleno em suas empresas ou mercado.

A falta de uma visão sistêmica e ampla transforma nossos heróis em gladiadores “cegos” e ansiosos para resolverem seus problemas e muitas vezes esquecendo das consequências e estragos provocados por suas atitudes impulsivas. Observa-se uma falta de habilidade para analisar e entender onde de fato o problema ou desafio está e então concentrar a energia para neutralizá-lo.

A grande batalha entre os dois heróis é muito similar aos embates internos travados por gestores empresarias buscando impor suas ideias, percepções ou até mesmo fugindo das responsabilidades. A máxima de que a melhor defesa é o ataque, sempre fez parte do arsenal de recursos no “bat-cinto” de gestores inseguros e mal preparados.

A dificuldade para entender que nossos desafios e adversários deveriam estar no lado de fora da empresa e principalmente, que ao respeitar as diferenças e aprender a trabalhar com opiniões e estilos distintos, fazem com que sejamos mais fortes e poderosos. Quando dividimos nossa energia interna para medir força ou poder, criamos pontos de ruptura na corrente que sustenta o trabalho em equipe.

A afirmação de que “unidos somos mais fortes do que somados” nunca foi tão verdadeira e importante para o sucesso das empresas que enfrentam a turbulência destes tempos de incertezas. Seus gestores ou “heróis” precisam de discernimento, equilíbrio emocional e deixar de lado as vaidades que o poder proporciona.

Precisamos, cada vez mais, estar cientes de que as grandes batalhas continuarão a surgir. Talvez nossos adversários sejam maiores, mais fortes e até mesmo munidos de recursos que não dispomos. Também precisamos lembrar que em momento algum, alguém disse que o mercado é justo ou que haverá equilíbrio entre as forças competitivas.

Independente disto tudo, necessitamos de foco, objetividade, determinação e jamais dividir nossas forças por conta de conflitos internos. Mantenha a equipe unida e pronta para qualquer nível de desafio e não superestime os seus problemas, pois não somos tão importantes como imaginamos.

Roberto Vilela, consultor da Mega Empresarial. Imagem: Divulgação

Roberto Vilela, consultor da Mega Empresarial. Imagem: Divulgação