[16/03/2012] Ergonomia não é só coisa de escritório. Veja como você deve aplicar os conceitos em casa

O termo ergonomia geralmente remete a escritório. Muito se fala sobre a importância de ter o monitor a altura dos olhos e a cadeira bem ajustada à estrutura física de cada um. Mas o que você pode não saber é que a ergonomia é uma das partes mais importantes na elaboração de um projeto residencial.

O arquiteto Osvaldo Segundo explica que o termo “engenharia humana” já foi utilizado para definir ergonomia, não por acaso. “A arquitetura tem ligação direta com a forma de viver das pessoas. E o espaço onde elas estão interfere de forma direta na qualidade de vida de cada um”, comenta. “Se o espaço não oferece condições que primam pela saúde de quem vive lá, pode acabar gerando muitos problemas”, afirma.

Por exemplo, você já parou para pensar na sua postura quando precisa pegar alguma coisa no armário? Ou então para sentar à mesa? E para cozinhar ou fazer alguma coisa na pia? Essas ações simples podem desencadear problemas como dores na coluna, por exemplo, se não foram bem pensados.

“Nos projetos que nós desenvolvemos, analisamos não só a beleza do ambiente, mas a sua funcionalidade e a relação que tem com as pessoas que vão viver nele. Todos os cômodos e móveis, além de serem visualmente atraentes aos olhos de quem vive lá, também precisam ser úteis na qualidade de vida das pessoas”, explica.

Abaixo, alguns exemplos de medidas ergonômicas retirados do livro Dimensionamento humano para espaços interiores, de Julius Panero e Martin Zelnik.

Não deixe de perguntar ao ser arquiteto se ele toma este tipo de cuidado na hora de projetar o lugar onde você vai morar. Sua saúde agradece.

Como você vive?
Outra questão importante que pode ser desenvolvida em alguns edifícios é a personalização do layout do apartamento. O que isso tem a ver com a sua qualidade de vida? Tudo. “Muitas vezes, integrar ambiente pode fazer a família ficar mais próxima, ter mais contato. Ou então, um corredor reposicionado pode gerar mais espaço para armários”, explica Osvaldo.

[15/09/2011] Matéria com Osvaldo Segundo no Ver Mais já está disponível no Youtube

Como você imagina um apartamento de um casal de avós? Certamente, é bem diferente deste projetado pelo escritório Osvaldo Segundo Arquitetos Associados. Todo inspirado na arquitetura minimalista, ele tem características bem específicas com um toque de modernidade. A apresentadora do Ver Mais Blumenau, Susan Germer, foi até lá conferir. A matéria foi ao ar no dia 14 de setembro de 2011.

[16/05/2011] Perfil: Carolina Lopes, arquiteta parceira da Prime Home

Richard Gohr e Carolina Lopes, da Carolina Lopes e Richard Gohr Arquitetos Associados.

A tendência na criação de novos ambientes para casas e apartamentos é automação. A Prime Home cuida de todos os aspectos nesta área, mas para assegurar uma forte aliança entre tecnologia e design, ela também conta com parcerias com arquitetos. Chamamos Carolina Lopes, arquiteta, para falar sobre o seu trabalho e sua experiência com a Prime.

Prime Home: Como você começou a trabalhar como arquiteta?
Carolina Lopes: Desde criança me encantava com a profissão. Comecei a fazer meus primeiros projetos para amigos próximos durante a faculdade. Isso há mais de 10 anos. Desde então não parei mais. Hoje em dia costumo dizer que ser arquiteta é um vício para mim.

Prime Home: Se você pudesse escolher uma característica das suas obras, que fosse quase como uma marca registrada, qual seria?
Carolina Lopes: Funcionalidade. De que adianta criar um projeto belo se não funciona? Acredito que deve haver uma união que alie beleza às outras características, mas prezo muito pela funcionalidade. Projetos que envolvam automação, por exemplo, devem ser executados de modo que se possa usufruir posteriormente dos eletrônicos instalados. A beleza do ambiente é um complemento do objetivo final.

Prime Home: Quais são os diferenciais do seu trabalho?
Carolina Lopes: Mantenho-me à disposição dos meus clientes ao máximo possível. Quando decido criar um projeto, todo o meu foco é direcionado à qualidade do que estou fazendo, e sem ter o feedback, pode não sair exatamente como ambas partes – o arquiteto e o cliente – planejam.

Prime Home: Você costuma optar pela instalação de home theaters nos seus projetos? Você acha que esta é uma tendência?
Carolina Lopes: É uma tendência, com certeza. Atualmente, é difícil fugir da correria do dia-a-dia e ter um espaço onde se possa sentar e relaxar com um bom som ou assistir um filme como se fosse um cinema sem precisar sair de casa. É uma demanda crescente em muitos projetos é uma das primeiras características a serem requisitadas pelo cliente.

Prime Home: O som ambiente também está tendo maior procura?
Carolina Lopes: Muita procura. A cada projeto desenvolvido, perguntamos aos clientes se eles gostariam de trabalhar com som ambiente e a resposta quase sempre é positiva. Apesar de querem um ambiente fixo para aproveitar um filme, ter música tocando em qualquer parte da casa é um dos maiores desejos na hora de criar um projeto.

Prime Home: Como você avalia o trabalho da Prime Home?
Carolina Lopes: A Prime sempre me passou muita segurança. Demostram ser competentes e bem dispostos, acompanham o desenrolar da obra para que o resultado final seja sempre satisfatório.

Pingue pongue
• Uma tendência na arquitetura: Racionalização dos espaços, infelizmente!
• Uma inspiração: Meus filhos.
• Uma marca registrada: Meus clientes salientam muito minha espontaneidade. Isso os  deixa a vontade!
• Um hobby: Trabalhos manuais.
• Um exemplo de vida: Chico Xavier.
• O que você espera de 2011: Que os seres humanos sejam mais tolerantes!

[14/01/2011] “Se antes havia alguma dúvida, agora é certo que os home theaters vieram pra ficar”

Que a criatividade é uma marca registrada nos projetos de Thiago Mondini, a gente já sabia. Só não sabíamos que a ligação do arquiteto com a música e as artes foram fatores fundamentais para o desenvolvimento destas características. Nesta entrevista ele fala de como optou pela área, da metodologia dos projetos que realiza e do serviço da Prime Home.

Prime Home: Há quanto tempo você atua como arquiteto?
Thiago Mondini: Atuo como arquiteto há seis anos, os quatro últimos de forma autônoma, através do meu escritório em Blumenau. Desde muito cedo me interessei por atividades criativas, artísticas e construtivas. O processo para a formação como arquiteto acabou como uma opção natural quando decidi entre duas grandes paixões: música ou arquitetura. As duas áreas são formadas por conceitos e elementos muito similares, com uma diferença importante: enquanto a arquitetura trabalha o tangível e o visível, a música trabalha o intangível e invisível. Optei pela área que me traria maiores oportunidades de realização profissional, já que o trabalho do arquiteto é sempre muito diverso, raramente tem uma rotina previsível e exige invenção e reinvenção constante.

Prime Home: Se você pudesse escolher uma característica das suas obras, que fosse quase como uma marca registrada, qual seria?
Thiago Mondini: A busca constante por um desenho limpo e elegante, mas provocativo. Costumo dizer que o melhor projeto é aquele que, no final do processo criativo, parece óbvio – no sentido de ser exatamente o que precisava ser feito naquela situação – mas sempre de uma forma instigante e inesperada.

Prime Home: Quais são os diferenciais do seu trabalho?
Thiago Mondini: Antes de iniciar qualquer projeto, procuro entender o cliente: seus gostos, necessidades e desejos. Por este motivo, a produção do escritório não segue uma linha única. Seria como uma árvore: todos os conceitos em que acredito e a partir dos quais elaboro meu trabalho estão no tronco, mas eles se ramificam em diferentes direções de acordo com o cliente que está sendo atendido. É por isso que você vai encontrar no meu portfolio desde projetos com uma roupagem antiga até projetos arrojados e contemporâneos – todos estruturados com os mesmos conceitos mas com resultados completamente diferentes. Minha grande vantagem foi aprender a adaptar o meu pensamento às necessidades dos clientes, de forma a obter tanto a satisfação deles, quanto a minha. Este modo de trabalho exige bastante pesquisa e muito tempo dedicado à criação, mas garante ao cliente um produto especial, personalizado e único, fruto de “trabalho intelectual” que é, na verdade, o grande valor oculto no trabalho do arquiteto.

Prime Home: Vimos que no seu site tem um portfólio muito bacana. Em alguns projetos vimos que você optou pela instalação de home theaters. Você acha que esta é uma tendência?
Thiago Mondini: Mais que tendência, os home theaters já estão estabelecidos há alguns anos, como um dos ambientes mais desejados pelos clientes. Desde as instalações mais simples até as mais sofisticadas. Das soluções de salas isoladas até os grandes espaços integrados nas áreas sociais e de lazer. A evolução da tecnologia já nos permite, há muitos anos, levar o cinema para a casa – que era o objetivo inicial do espaço. A diferença é que uma solução que antes era para poucos, hoje já se tornou bastante acessível e economicamente viável para uma ampla gama de clientes. Agora, novas soluções, como a integração dos sistemas com iPhone e iPad, estão trazendo um novo impulso para estabelecer os home theaters como ambientes práticos e indispensáveis. Se antes havia alguma dúvida, agora é certo que eles vieram para ficar.

Prime Home: O som ambiente também está tendo maior procura?
Thiago Mondini: Soluções de som ambiente são ainda mais vantajosas para os clientes, quanto ao custo-benefício. O custo da infra-estrutura quando integrado ao projeto do arquiteto, é mínimo e os clientes já sabem disso. Na parte de acabamentos, o cliente vai poder escolher de acordo com suas possibilidades, com a vantagem de poder regular a sonorização de espaços residenciais e comerciais de uma forma sutil e agradável, garantindo diferentes efeitos de acordo com a necessidade de cada ocasião.

Prime Home: Como você avalia o trabalho da Prime?
Thiago Mondini: A Prime Home é sinônimo de excelência em atendimento e atenção aos detalhes. A abertura que a empresa me dá para discutir diferentes soluções até encontrar a mais viável para cada situação é fundamental para que o trabalho do arquiteto permaneça alinhado com as possibilidades e desejos de cada cliente.

Pingue pongue
• Uma tendência na arquitetura: Ter personalidade.
• Uma inspiração: As artes.
• Uma marca registrada: Simplicidade com impacto.
• Um hobby: A música, o piano.
• Um exemplo de vida: As pessoas imortalizadas pela inovação de seu pensamento.
• O que você espera de 2011: Desafios para a criatividade.

Facebook
LinkedIn
Instagram