[07/11/2011] Enxergando no escuro

Se existe uma coisa que o ser humano sabe fazer bem é melhorar as coisas. Se você está lendo esta matéria, você gosta de home theaters e televisores. Com certeza, você já pensou em ter mais qualidade de imagem ou som e imaginou qual seria sua próxima compra. Mostramos em março que existem formas de tirar melhor proveito do seu home theater sem precisar adquirir um novo modelo. E se fosse possível ter melhor imagem sem precisar dar um upgrade?

Francisco Marengo, diretor técnico da Prime Home, fala que é possível, através de equalizações e outras ações simples, assistir filmes, seriados ou jogar videogames com imagens melhores. Alguns vilões, porém, ficam no caminho disto. “A principal reclamação é o reflexo. Nível de preto também é um requerimento para assistir um filme com a qualidade de cinema”, comenta Marengo. Mas como resolver o problema do reflexo?

Existem várias formas de resolver completamente ou, pelo menos, amenizar a situação, sem precisar comprar outra TV. Os modelos que mais geram reflexo são as de plasma, por causa de sua tela. “Elas possuem os melhores níveis de preto e também as mais altas taxas de atualização, mas precisam estar em ambientes escuros”, explica o diretor. A solução mais básica seria, então, o uso de cortinas. Para casos que envolvam automação, cortinas motorizadas podem ser acionadas quando escolhido o modo filme na configuração de automação. Em ambientes com projetores, a única forma de ter uma imagem com bom contraste é escurecendo o lugar, como em um cinema.

Mas nem todos gostam de assistir filmes no escuro, principalmente pessoas que tenham algum problema de visão. “Ambientes escuros cansam a vista mais fácil. Nossos olhos precisam fazer um esforço extra para se adequar a constante mudança de imagens claras e escuras. Nestes casos também há uma solução”, afirma Marengo. Com o uso de iluminação bias, você pode deixar as luzes apagadas, ter uma melhor qualidade de imagem sem precisar aumentar o contraste demasiadamente e não forçar a visão. O diretor diz que para conseguir estes benefícios, basta a instalação de luzes atrás da TV. Ela vai criar uma iluminação indireta no ambiente e por estar atrás do aparelho, não irá gerar reflexos.

Outra ação que ameniza o problema é a opção de backlight em modelos LCD. Caso você utilize o aparelho em um ambiente com janelas abertas ou luzes acesas, uma das formas de diminuir o reflexo é aumentar o nível de backlight. O backlight é a luz por trás da tela, que cria as imagens. Com o aumento da quantidade de luz, a imagem fica mais forte, aparecendo mesmo com reflexos, mas como a cor preta em modelos LCD é a “luz” preta, quanto maior o backlight, menor o nível de preto real. “A recomendação é usar apenas em casos de emergência, pois perde-se muito a qualidade da cor preta. É possível perceber a diferença ao desligar o aparelho”, diz Marengo.

“No fim das contas é questão de escolha. Em um ambiente completamente escuro, a qualidade de imagem será a melhor, mas exposição demasiada irá causar desconforto visual. Com iluminação bias, o desconforto diminui, sem diminuir tanto a qualidade de imagem, em comparação com as luzes acesas. Com o ambiente completamente iluminado, o desconforto será mínimo, mas a experiência não será cinemática”, finaliza o diretor.

[20/07/2011] Francisco Marengo e Rodrigo Pamplona estiveram na Expo PredialTec 2011 e contam as novidades

Aconteceu em São Paulo (SP), durante os dias 12, 13 e 14 de julho, a Expo PredialTec 2011. A feira acontece anualmente e tem como foco a exposição de tecnologias avançadas em automação predial e residencial. O diretor da Prime Home, Francisco Marengo, e o engenheiro da empresa, Rodrigo Pamplona, compareceram ao evento para saber das últimas novidades na área de automação.

O diretor da empresa conta que a automação definitivamente veio para ficar. “Automação é uma tendência mercadológica. Isto é fato. O aumento de fornecedores, espaço físico e expositores cresceu muito em relação ao ano passado”, comenta. O aumento de visitantes também aumentou consideravelmente e palestras na Aureside (Associação Brasileira de Automação Residencial) bateram recorde de público.

Em relação às novidades demonstradas na feira, Rodrigo confirmou o que já era esperado. As tecnologias estão convergendo para tablets e celulares, solidificando o controle central de softwares como o Control 4. “O que começou como uma inovação se tornou um padrão no mundo da automação. As empresas estão aproveitando que hoje em dia todo  mundo possui um celular ou tablet. Para facilitar a vida do cliente, o controle central é transferido para o aparelho, evitando um controle específico apenas para aquela situação”, explica.

Francisco diz que uma das tendências atuais é a automação extendida para o condomínio, além de residências. A preocupação com sustentabilidade e economia de energia abriu espaço para tecnologias que ajudem nesse sentido. “É uma área que está tendo cada vez mais demanda e estamos preparados para atendê-la”, finaliza.

[22/06/2011] Ditados que vêm a calhar

“Melhor prevenir do que remediar”. “Segurança nunca é demais”. “O seguro morreu de velho”. Todos já ouvimos estes ditados antes, mas nem sempre colocamos em prática. Pensando nisto, a Prime Home oferece a implantação de sistemas de segurança que podem ser aplicados junto à automação. Francisco Marengo, diretor da empresa, diz que ter total controle da sua casa nunca foi uma idéia tão real quanto agora.

Foi-se o tempo em que ter uma tranca com corrente na porta era sinônimo de segurança. Hoje em dia, se um bandido quiser entrar em sua casa, ele provavelmente terá sucesso. Especialistas dizem que a melhor forma de garantir a segurança do seu lar é desencorajar o criminoso. “A idéia é simples: se achar que tem alguém em casa, ele já vai pensar duas vezes antes de tentar arrombar a porta”, explica Francisco. “Pensando nisto, sistemas foram criados para simular a rotina da família, acendendo luzes automaticamente em determinados horários, por exemplo”.

Mas não é apenas um sistema automatizado que garante o sossego das pessoas. Câmeras IP viraram a linha de frente em muitas casas. “Estes modelos são os mais usados, pois funcionam integrados à internet, possibilitando a visualização em tempo real do ambiente que estão monitorando”, diz o executivo. Basta configurar o sistema com um aparelho que utilize Control 4 – como um iPhone ou iPad –  e a pessoa pode acessar de qualquer lugar para checar a segurança.

Outros eletrônicos usados são os sensores. Desde modelos de presença até de fumaça, eles podem avisar o usuário do sistema de qualquer movimentação suspeita ou perigo. “É possível integrar no sistema um aplicativo que manda mensagens automáticas para serviços de emergência, caso algum sensor ou alarme seja disparado”, comenta Francisco.

Caso o cliente queira, é possível abandonar as chaves. O executivo comenta que basta a instalação de travas com senhas numéricas ou sequência de cores. “É uma segurança ainda maior. O número de combinações é muito grande, então sem saber a senha, fica praticamente impossível de entrar”.

“São muitas possibilidades para vários fins. Alguns clientes utilizam de um sistema de monitoração para cuidar de quem está em casa, seja uma criança ou um idoso. Outras pessoas utilizam porque viajam muito e acabam se sentindo inseguras. O que importa é que todos possam estar mais seguros com as possibilidades que a tecnologia dá”, finaliza o executivo.

——————–
Veja esta notícia também em:

[02/06/2011] Quando, onde e como?

Automação tem atraído muita atenção para os que gostam de relaxar e se divertir em casa. Com a possibilidade de som ambiente e home cinemas, as pessoas começaram a procurar empresas especializadas para saber como funciona a instalação destes serviços. Francisco Marengo, diretor técnico, e Rodrigo Pamplona, engenheiro da Prime Home, esclarecem que existem momentos adequados para o tipo de automação que você tem em mente.

“Se você está projetando uma obra, este é o momento para projetar também a automação. Neste caso é, o ideal é uso de fios, pois permitem expansão quase ilimitada”, explica Rodrigo. Francisco fala que este tipo de automação requer reformas e normalmente é ideal para casas ou apartamentos grandes. “O custo pode até ser mais alto, porém as possibilidades são muito maiores. É possível interligar ambientes com maiores espaçamentos, sem perder a qualidade”.

Mas para quem já tem sua casa ou apartamento do modo que gosta e não gostaria de passar por reformas, existe a alternativa da automação sem fios. Esta pode ser feita a qualquer momento, pois não requer alteração na parte física do ambiente. “Com a instalação de módulos de potência e ou repetidores nas áreas que serão automatizadas, a necessidade de reforma é removida da equação. Por este motivo, o custo pode ser mais acessível”, explica Francisco. A limitação deste tipo de automação é o espaço. Como tudo é feito por transmissão wireless, áreas muito grandes necessitam de um projeto bem dimensionado para não prejudicar a transmissão.

“O ideal, quando se pensa em automação, é tentar aplicá-la no projeto logo no início da obra, pois tudo entra em conjunto e as possibilidades são maiores sem aumento de custo. Caso seja feito posteriormente, dependendo do tamanho dos ambientes, pode ou não ser necessária a reforma”, explica Francisco. A automação sempre é possível, mas como qualquer projeto que envolva engenharia e tecnologia, deve ser planejada de acordo com as necessidades do cliente e o ambiente onde será implantada.

[16/05/2011] Perfil: Carolina Lopes, arquiteta parceira da Prime Home

Richard Gohr e Carolina Lopes, da Carolina Lopes e Richard Gohr Arquitetos Associados.

A tendência na criação de novos ambientes para casas e apartamentos é automação. A Prime Home cuida de todos os aspectos nesta área, mas para assegurar uma forte aliança entre tecnologia e design, ela também conta com parcerias com arquitetos. Chamamos Carolina Lopes, arquiteta, para falar sobre o seu trabalho e sua experiência com a Prime.

Prime Home: Como você começou a trabalhar como arquiteta?
Carolina Lopes: Desde criança me encantava com a profissão. Comecei a fazer meus primeiros projetos para amigos próximos durante a faculdade. Isso há mais de 10 anos. Desde então não parei mais. Hoje em dia costumo dizer que ser arquiteta é um vício para mim.

Prime Home: Se você pudesse escolher uma característica das suas obras, que fosse quase como uma marca registrada, qual seria?
Carolina Lopes: Funcionalidade. De que adianta criar um projeto belo se não funciona? Acredito que deve haver uma união que alie beleza às outras características, mas prezo muito pela funcionalidade. Projetos que envolvam automação, por exemplo, devem ser executados de modo que se possa usufruir posteriormente dos eletrônicos instalados. A beleza do ambiente é um complemento do objetivo final.

Prime Home: Quais são os diferenciais do seu trabalho?
Carolina Lopes: Mantenho-me à disposição dos meus clientes ao máximo possível. Quando decido criar um projeto, todo o meu foco é direcionado à qualidade do que estou fazendo, e sem ter o feedback, pode não sair exatamente como ambas partes – o arquiteto e o cliente – planejam.

Prime Home: Você costuma optar pela instalação de home theaters nos seus projetos? Você acha que esta é uma tendência?
Carolina Lopes: É uma tendência, com certeza. Atualmente, é difícil fugir da correria do dia-a-dia e ter um espaço onde se possa sentar e relaxar com um bom som ou assistir um filme como se fosse um cinema sem precisar sair de casa. É uma demanda crescente em muitos projetos é uma das primeiras características a serem requisitadas pelo cliente.

Prime Home: O som ambiente também está tendo maior procura?
Carolina Lopes: Muita procura. A cada projeto desenvolvido, perguntamos aos clientes se eles gostariam de trabalhar com som ambiente e a resposta quase sempre é positiva. Apesar de querem um ambiente fixo para aproveitar um filme, ter música tocando em qualquer parte da casa é um dos maiores desejos na hora de criar um projeto.

Prime Home: Como você avalia o trabalho da Prime Home?
Carolina Lopes: A Prime sempre me passou muita segurança. Demostram ser competentes e bem dispostos, acompanham o desenrolar da obra para que o resultado final seja sempre satisfatório.

Pingue pongue
• Uma tendência na arquitetura: Racionalização dos espaços, infelizmente!
• Uma inspiração: Meus filhos.
• Uma marca registrada: Meus clientes salientam muito minha espontaneidade. Isso os  deixa a vontade!
• Um hobby: Trabalhos manuais.
• Um exemplo de vida: Chico Xavier.
• O que você espera de 2011: Que os seres humanos sejam mais tolerantes!

Facebook
LinkedIn
Instagram