[20/12/2011] Existe vida após o ar-condicionado?

Quem vive em cidades grandes e com intensas ondas de ar seco, sabe: o verão torna praticamente obrigatória a presença do ar-condicionado. Porém, em meio ao vislumbre de dias mais frescos, um detalhe pode acabar sendo deixado de lado: as plantas. Ambientes tomados pela praticidade da refrigeração do ar são prejudiciais para a maioria das espécies ornamentais. Com a falta de umidade, elas sofrem uma desidratação acelerada e, gradativamente, adquirem um aspecto queimado. Resultado: não há regeneração possível e a folhagem se desintegra completamente.

Ana Glória Nunes, engenheira florestal e gerente da Casa di Fiore, explica que há medidas a serem tomadas para evitar que isso aconteça. “É vital abastecer as plantas com a umidade necessária, instalando pontos de fornecimento pela evaporação: a terra do vaso, na superfície, pode ser um deles”, diz. “Além de ajudar a umedecer as folhas, estes pontos ajudam a desenvolver novas mudas”, complementa.

A luminosidade é outro fator importante para a sobrevivência das plantas no ar-condicionado. Lâmpadas fluorescentes não são indicadas, já que produzem muita claridade e não emitem os raios necessários para o processo de fotossíntese.

Por fim, Ana destaca que os cuidados com a adubação também merecem atenção. “Fertilizantes foliares podem ser utilizados uma vez ao mês, porque suprem as necessidades para o crescimento sadio das plantas. Eles são ricos em micronutrientes como zinco e cobre”, conclui.

[09/11/2011] Como sobreviver ao calor

Com o verão se aproximando, o calor aumenta cada vez mais. A intensidade do sol não é prejudicial apenas para a nossa pele, mas também para as plantas. Os tipos que não devem receber iluminação direta ressecam mais rapidamente dentro de apartamentos e casas e as espécies que ficam no lado de fora necessitam de mais cuidados. Ana Glória Nunes, gerente da Casa di Fiore, diz que as regas, adubação e podas devem ser repensadas para esta época do ano.

Durante o calor que precede o verão as regas devem ser mais freqüentes. “O ideal com as plantas exteriores é regar duas vezes ao dia, sendo uma de manhã e outra pelo final da tarde, com o sol baixo”, diz a gerente. Com as plantas que ficam dentro dos ambientes, pode acontecer o ressecamento pela baixa umidade do ar e o ar abafado. Nestes casos, as plantas podem ser borrifadas com água em temperatura ambiente.

Em relação a adubação, a regra é simples. “A adubação deve ser feita normalmente de acordo com cada planta. Dependendo da época – de floração ou plantio – existem adubos específicos. Mas o que se deve observar é a quantidade de água utilizada. Com o calor, pode ser necessário mais do que o normal”, observa Ana.

Quanto a poda, deve se ter um cuidado especial. A época de calor torna a proliferação de doenças mais fácil, portanto folhas e caules visivelmente infeccionados devem ser removidos rapidamente. A planta também deve ser isolada, se possível.

Por último, um cuidado simples, mas que pode salvar o jardim exterior. Fixe estacas para segurar e proteger as plantas das chuvas fortes, comuns nesta estação. “As chuvas de verão costumam ser carregadas e com muito vento. Mesmo cinco minutos podem ser suficientes para danificar fortemente as plantas”, finaliza a gerente.

[10/08/2011] Cobertura verde para um ambiente mais natural

Cheias de graça e beleza, as plantas realmente diferenciam os locais, principalmente quando têm a responsabilidade de tornar algum espaço mais harmônico. As heras são excelentes opções para quem quer deixar a casa ou apartamento com um visual mais natural. Elas são bastante populares, de fácil cultivo e manutenção e deixam muito mais bonitos os ambientes. As trepadeiras, como são mais conhecidas, se integram facilmente a variadas composições paisagísticas. “Elas amenizam muros altos, além de proporcionar uma sensação de frescor e tranqüilidade nos espaços internos em virtude das suas folhagens criarem texturas interessantes com desenhos e tonalidades”, explica a gerente da Casa di Fiore, Ana Glória Nunes.

Para mantê-las bonitas e saudáveis é necessário conservá-las a meia sombra. A rega deve ser feita semanalmente, duas vezes durante o inverno e no verão, cerca de três vezes. “Exagerar na água é um dos fatores que pode matar a hera”, alerta Ana. A profissional ainda ensina que é necessário plantar em substrato com terra adubada. “O plantio é muito importante para que ela se desenvolva bem”, orienta.

Para conter o crescimento rápido, a dica é podar. Na primavera e no verão as heras crescem mais do que o habitual. A poda nesse período é mais adequada porque educa a muda e incentiva a brotação de novas folhas. Para quem pretende ter a planta em apartamento, a dica deixá-la perto da janela ou sacadas.

[20/07/2011] Como tocar sem tocar

Basta um toque para transferir sujeira e gordura. Um toque um pouco mais forte para criar uma mancha permanente e menos força do que você imagina para danificar irreversivelmente uma touchscreen. Então, como cuidar para que não suje, dê defeito e finalmente quebre? Henrique Bilbao começa com uma dica simples: atenção.

O sócio da Hi Soluções, diz que os primeiros e mais importantes cuidados são em relação à segurança do aparelho. “Uma touchscreen é sensível ao toque. E por responder até mesmo a esta simples ação, ela é igualmente sensível a qualquer outra pressão igual ou maior”, comenta. Levando isto em conta, entendemos a importância da atenção ao transportar o aparelho.

“Qualquer dono de iPod Touch ou iPhone costuma levá-lo no bolso. Isto já é um erro. Se a tela não estiver protegida por uma película ou capa, ela vai ser arranhada facilmente”, diz Henrique, que enfatiza que aparelhos touchscreen devem ser transportados sozinhos. “Estando no bolso da calça ou dentro de uma mochila ou mala, o aparelho está sujeito a batidas, raspões, pressão de outros objetos dentro do compartimento e pressão exterior. É importante, por exemplo, não colocar junto de uma chave, que arranha facilmente o aparelho. Tudo isto pode causar manchas irreversíveis na tela, por danificar o LCD, além de trincamentos e até quebra”.

Mas o que fazer quando arranhões aparecem? Alguns recomendam esfregar pasta de dente branca. Outros, cera automotiva. Existem lojas que vendem substâncias especiais e há até quem diga que borracha escolar resolve. Henrique oferece sua própria dica. “Eu diria que a melhor forma é evitar que eles apareçam. Vale mais ter cuidado com o aparelho do que tentar resolver com meios duvidosos que podem danificar ainda mais”.

Quanto à limpeza, o assunto é mais fácil. Um dos materiais mais recomendados é um pano de microfibra. “Por ser artificial, não irá deixar pequenos pêlos na tela”, explica Henrique. A flanela pode ser adquirida em diversas lojas e basta esfregar levemente na tela. “Se a tela estiver muito suja, deve se ter paciência. Força demais pode danificar o aparelho”, adverte. Outra solução é algodão umedecido com água. Ambos não possuem outros componentes, portanto não há risco de manchar ou danificar a tela. Henrique lembra que nunca se deve derramar o líquido diretamente na tela. “Basta umedecer um pouco e esfregar leve e repetidamente”.

“São cuidados simples e a limpeza exige apenas paciência e leveza na mão. É útil também utilizar uma película ou capa, mas o principal ainda é o cuidado pessoal com o aparelho”, finaliza Henrique.

[31/05/2011] Sócia da Casa di Fiore fala ao programa Bem Viver

Muitas pessoas já tiveram uma pimenteira e, infelizmente, muitas dessas perderam a planta, pois os cuidados que ela requer podem ser mal interpretados. Andréia Possamai, sócia da Casa di Fiore, falou ao programa Bem Viver, sobre o que se deve ou não fazer para ter uma pimenteira saudável e em casa.

Entre os cuidados citados por Andréia, está a dosagem certa de sol e água. “Dificilmente uma planta morre por pouca água. Se ela está precisando ser regada mais vezes, é possível notar. Porém quando se rega demais, quando se vê, a planta já morreu”, comenta.

A entrevista foi ao ar no dia 15 de maio, no programa Bem Viver, apresentado por Roberta Dietrich.

[youtube HsJ29VyPGnk]

 

Facebook
LinkedIn
Instagram