[20/09/2011] Terceira edição do Painel Mudanças Climáticas é sucesso em Joinville

Mais uma edição do Painel Mudanças Climáticas foi sucesso ontem em Joinville. O evento, promovido pelo SindsegSC – Sindicato das Seguradoras, Previdência e Capitalização em Santa Catarina, reuniu mais de 200 pessoas no V12 Lounge e Eventos na noite de segunda-feira, 19 de setembro. O palestrante da noite foi Juarês José Aumond, doutor em Engenharia Civil e mestre em Geografia. Diversas autoridades marcaram presença no evento.

Na abertura, o presidente do SindsegSC, Paulo Lückmann, lembrou que um dos grandes objetivos do seguro é dar a população tranqüilidade para sonhar e realizar seus sonhos. E, por isso, o mercado está atento às questões das mudanças no clima. “Precisamos esclarecer e envolver a população nesta questão. O objetivo da entidade é disseminar a informação para começarmos a fazer a nossa parte para mudar o cenário assustador que o professor Juarês nos apresenta”, comentou. O executivo considerou o evento mais um sucesso. “Estamos muito próximos de completar mil participantes nesta rodada de eventos”.

Dados apresentados pelo palestrante, mostraram que, em 1966, o Rio de Janeiro registrou 70 mortes por desmoronamentos. Em 2011, na região serrana, foram mais de 1000 mortos. “Isso responde a uma das perguntas que eu mais ouço: as mudanças climáticas são um processo recente? Não. Elas acontecem há milhares de anos. O que mudou é a proporção e a freqüência destas catástrofes, cada vez maior por causa da influência do homem”, explicou Juarês.

Ele explicou também que os desastres naturais são um reflexo da organização da sociedade e causam efeitos diretos e muito sérios na política e na economia. “A agricultura, a bioversidade, a estrutura viária, a saúde e a construção civil são alguns dos setores que já sofrem influência direta das alterações no clima”, disse o pesquisador. Juarês exemplificou com um item básico no nosso dia-a-dia: o algodão. Segundo ele, o aumento dos preços não só teve reflexos muito sérios na indústria, mas também no bolso do consumidor.

“Depois da revolução industrial, o homem se tornou o fator mais atuante para as mudanças climáticas. Segundo pesquisas mundiais, se o comportamento não mudar, até 2050 teremos 1,5 bilhões de pessoas expostas a grandes desastres, além de um novo tipo de refugiado: o ambiental”, finalizou Juarês.


Créditos das fotos: Castro Leão Estúdio

[16/09/2011] Campanha Trânsito não é brincadeira vai até o dia 30 em Chapecó

Durante o mês de setembro, as principais linhas de ônibus de Chapecó estão circulando com um aviso muito importante: trânsito não é brincadeira. Esta é uma campanha do SindsegSC – Sindicato das Seguradoras, Previdência e Capitalização em Santa Catarina que ressalta a importância do cuidado e do respeito ao volante. Os itinerários podem ser conferidos no Portal SindsegSC. A ação vai até o dia 30.

Paulo Lückmann, presidente do SindsegSC, comenta que o objetivo da campanha é alertar que as obras de infraestrutura são importantes, mas é fundamental que os motoristas tenham consciência do seu papel. “Muitos dos acidentes com pessoas feridas ou mortes são causados por falta de respeito e atenção. Isso precisa mudar”, afirma o executivo.

Luiz Antônio Sega, profissional responsável pelas ações institucionais, de comunicação e relações institucionais do Grupo de Trabalho de Chapecó do SindsegSC, diz que o desenvolvimento da campanha, baseado em uma foto de criança, lembra que apenas elas podem brincar com os carros – e os de plástico. “Lembra também que, muitas vezes, estas crianças estão no carro. E quem dirige precisa pensar na segurança delas e de todas as pessoas que estão transitando”, finaliza.

[15/09/2011] Presidente do SindsegSC e coordenador da Comissão de Automóveis falam da importância da palestra de Jayme Garfinkel em SC

No dia 22 de setembro, o presidente da Federação Nacional de Seguros Gerais (FenSeg), Jayme Garfinkel, estará em Blumenau para proferir a palestra Seguro automóvel: guia de boas práticas. O evento é uma realização do SindsegSC – Sindicato das Seguradoras, Previdência e Capitalização em Santa Catarina e já está com inscrições abertas e gratuitas no Portal da entidade.

Paulo Lückmann, presidente do SindsegSC, comenta que é um momento estratégico para a vinda do executivo para Santa Catarina. “Segundo o Balanço Anual – Informe Social da Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização (CNSeg), o seguro de automóvel representa 63,1% da arrecadação em seguros gerais em 2010 no estado”, explica ele.

Rogério Weber, coordenador da Comissão de Automóveis do SindsegSC, comenta que, apenas em julho de 2011, foram comercializados 22.560 unidades de veículos novos em Santa Catarina, segundo a Federação Nacional de Distribuição de Veículos Automotores em Santa Catarina (Fenabrave-SC). “De janeiro a julho, este número soma 151.852 unidades. A expectativa da entidade é que logo o número de 3,6 milhões de veículos seja atingido.

“Temos certeza que este evento vai acrescentar bastante para o mercado catarinense de seguros, especialmente por se tratar do executivo que hoje representa a entidade do setor e que tem uma longa vivência neste mercado”, finaliza Paulo.

[16/08/2011] SindsegSC adere ao Movimento Brasil Eficiente

Durante o Encontro Catarinense de Corretores de Seguros (EcosegSC) que aconteceu nos dias 28 e 29 de julho, o presidente do SindsegSC – Sindicato das Seguradoras, Previdência e Capitalização em Santa Catarina, Paulo Lückmann, assinou o termo de adesão da entidade ao Movimento Brasil Eficiente. O movimento é caracterizado por unir cerca de 100 entidades em prol de uma reformulação fiscal que garanta ao país um crescimento econômico sustentável, consistente e acelerado.

Entre as propostas do Movimento Brasil Eficiente estão: conduzir o crescimento econômico e a geração de renda à média decenal de 6% ao ano, dobrando a renda per capita da população até 2020; fazer com que os gastos públicos cresçam menos do que a evolução do PIB; simplificar e racionalizar o Sistema Tributário Nacional; cobrar transparência total na incidência de tributos e, com o resultado destas ações, obter uma redução gradual da carga tributária brasileira.

Facebook
LinkedIn
Instagram