[12/08/2011] Mareike Valetin e Gregory Haertel na TVL

Um dos casais mais atuantes da cultura blumenauense, a cantora Mareike Valentin e o escritor e dramaturgo Gregory Haertel conversaram com Fabrício Wolff, apresentador do TVL Cultura. O programa foi ao ar no dia 3 de agosto. Mareike falou sobre as aulas de canto e sobre o primeiro disco, que deve ser lançado nas próximas semanas. Gregory comentou sobre o livro Quarteto de cordas para enforcamento e sobre algumas peças que escreveu em parceria com a Cia. Carona.

[26/04/2011] Quarteto de cordas para enforcamento será lançado esta semana

A noite do dia 29 de abril será especial para quem gosta da boa literatura blumenauense. Gregory Haertel – que teve uma grande repercussão da sua primeira obra, Aguardo, e é autor de diversas peças da Cia. Carona de Teatro – lança seu segundo livro. Dessa vez, são nove contos e uma novela escritos entre 2001 e 2005. O evento de lançamento terá também a abertura da exposição fotográfica e literária Escritos da Carne e começa às 20hrs, no porão da Fundação Cultural de Blumenau.

Quarteto de cordas para enforcamento será lançado pela Liquidificador Produtos Culturais e tem ilustrações do artista plástico Nestor Jr. e projeto gráfico de Leo Kufner. A publicação foi viabilizada pelo Fundo Municipal de Apoio à Cultura de Blumenau.

O autor comenta que pouca coisa foi alterada nos textos. “Poucas alterações gramaticais e de pontuação foram feitas na minha leitura para o lançamento deste livro e todas elas com o cuidado de preservar o que estava escrito. Esta não é, portanto, uma coletânea de contos, e, sim, um livro que esperou bastante para ser lançado.”, explica. Gregory diz que, durante a leitura para a finalização do livro, surpreendeu-se ao perceber o quanto o último texto “Ensaio para orquestra e coro de chuva”, prenunciava seu primeiro romance, Aguardo, que seria escrito anos depois.

Na orelha do livro, o escritor Viegas Fernandes da Costa escreve que “com sua linguagem crua e ousadia narrativa, Quarteto de cordas para enforcamento provoca e lacera; para além da moral, devolve-nos uma poesia capaz de incomodar”.

O diretor de teatro Pépe Sedrez, diz, no prefácio da obra: “Gregory deve divertir-se muito quando escreve. Quase posso adivinhá-lo escancarando um sorrisão que expõe dentes e malícia, ardiloso a brincar com (de)formação de frases, (des)construção de conceitos, (re)criação de valores e julgamentos”.

——————–
Veja esta notícia também em:

[26/04/2011] Arte a favor da literatura: Nestor Jr. estampa a capa e as ilustrações de quatro livros catarinenses

A literatura catarinense está em festa. Nos próximos dias, três aguardados títulos serão lançados. Em dezembro, outra estréia no mundo dos livros se consolidou. Estamos falando das obras Selenita (de Rodrigo Oliveira, lançado em dezembro de 2010), Quarteto de cordas para enforcamento (de Gregory Haertel, que será lançado no dia 29 de abril), O retrato da nudez eólica (de Cláudia Vetter, que será lançado no dia 1º de maio) e A Vaca Minuciosa (de Pochyua Andrade, que será lançado no dia 3 de maio). O que estas obras tem em comum? Na capa, a arte de Nestor Jr.

O artista catarinense está feliz com os lançamentos, especialmente por já ter lido todas as obras e confiar na qualidade do material. “Seria fácil apenas vender um direito autoral. Mas eu procurei, nestes quatro casos, acompanhar o processo de produção da obra. Em todos eles, li o a íntegra ou trechos dele antes da escolha da imagem, e eu posso garantir que são todos maravilhosos”, comenta Nestor que completa que é uma excelente fase para a literatura catarinense.

Abaixo, contamos um pouco sobre cada um dos livros.

Selenita
Lançado em dezembro de 2010, Selenita é o livro que marca a estréia de Rodrigo Oliveira. São 21 contos. Segundo a orelha do livro, escrita por Viegas Fernandes da Costa, “Rodrigo é Quixote que se entrega, tal qual um dos seus personagens, à sopa de verbo ainda que na pobreza de víveres”. O livro está a venda na Livraria Catarinense do Shopping Neumarkt, em Blumenau.

Nestor comenta que a capa foi escolhida de acordo com o conto que dá nome à obra. E que o resultado agradou muito. “O conto é fantástico e a literatura de Rodrigo ainda vai render muitos bons frutos. É maravilhosa”. A obra tem apoio da Lei Municipal de Incentivo a Cultura.

Quarteto de cordas para enforcamento
Com o lançamento marcado para a próxima sexta-feira, dia 29 de abril, Quarteto de cordas para enforcamento é o segundo livro de Gregory Haertel. Depois do comentadíssimo Aguardo, o autor lança uma obra de contos, escritos entre 2001 e 2005. A obra também tem o apoio da Lei Municipal de Incentivo a Cultura e será lançada pelo selo Liquidificador Produtos Culturais.

Nestor diz que o livro é surpreendente. “Eu sempre gostei de Aguardo. Enquanto romance, acredito que seja uma obra maravilhosa. Não esperei que fosse me surpreender – e me deliciar tanto com Quarteto de cordas para enforcamento. O livro é apaixonante”, afirma o artista.

O retrato da nudez eólica
Você já deve ter ouvido falar desta obra. O retrato da nudez eólica foi lançado por Cláudia Vetter no passado. O que mudou? Desta vez, com o apoio da Lei Municipal de Incentivo a Cultura e da Liquidificador Produtos Culturais, não será uma edição restrita aos amigos e lançado apenas com a vontade de escrever. O lançamento será no dia 1º de maio.

O livro é composto de textos que aliam a sensibilidade inata de Cláudia às influências de seus autores favoritos: Clarice Lispector, Voltaire, Dostoievski e Baudelaire. Nestor comenta que já conhecia a obra. “Quando a Cláudia me convidou para estampar a capa da segunda edição, fiquei muito feliz. Sempre acreditei e gostei muito do trabalho dela. É uma honra”.

A Vaca Minuciosa
Este foi, talvez, o maior desafio entre os lançamentos do ano de Nestor Jr. O primeiro livro de Pochyua Andrade, A Vaca Minuciosa, é de literatura infantil, uma área que nunca tinha sido pensada ou explorada pelo artista catarinense. Até que o amigo o convidou para participar do projeto encaminhado e aprovado pela Lei Municipal de Apoio a Cultura.

“É um tipo diferente de ilustração. Como o livro é muito sutil e a forma de Pochyua de contar a história é bastante visual, foi apenas encontrar uma linha pela qual nos aproximássemos. E foi o que aconteceu”, diz Nestor, que destaca: “A Vaca Minuciosa emociona, cativa e faz sorrir pessoas de todas as idades”.

——————–
Veja esta notícia também em:

Facebook
LinkedIn
Instagram