[1º/04/2013] SCMC agora é Santa Catarina Moda e Cultura

Desde que passou a trabalhar com o conceito resort culture para o estado, o projeto Santa Catarina Moda Contemporânea (SCMC) expandiu sua atuação. Passou a ser de interesse do projeto ter entre seus associados empresas que não necessariamente atuem no setor de moda, mas tudo que envolva, de alguma forma, a identidade catarinense. Para abranger melhor esta nova fase, o projeto mudou de nome. A sigla se mantém SCMC, no entanto, o significado dela agora é Santa Catarina Moda e Cultura.

Jackson Araújo, diretor criativo do projeto junto com Luca Predabon e quem sugeriu a mudança, comenta que “a alteração tem por objetivo promover uma reflexão sobre a verdadeira essência do programa, amplificando o interesse e a possibilidade de novas parcerias que se relacionem com o amplo universo da cultura (educação, artes, música, gastronomia, entretenimento)”.

Novas empresas
Outras duas boas novidades agitaram o SCMC no início de 2013: as novas associadas Printbag e Von der Völke se juntam às demais 13 empresas do grupo.

A Printbag é uma empresa de Camboriú (SC) especializada em sacolas de papel, caixas, embalagens versáteis e acessórios de alto padrão. A fábrica tem mais de 8 mil metros quadrados e muita tecnologia para atender algumas das maiores empresas de indústria e varejo do país.

Já a Von der Völke é uma marca criada em 2012 com o intuito de atender ao homem contemporâneo que acredita no estilo de vida do Sul do Brasil. Em suas peças, traz referências da cultura, do esporte e das tradições locais, sem perder o apelo do homem contemporâneo.

Sobre o SCMC
O Santa Catarina Moda e Cultura (SCMC) é um programa de incentivo à inovação e à criação de valor agregado para empresas de diversos segmentos no estado. Está no oitavo ano consecutivo.

As empresas participantes atualmente são: Altenburg, Audaces, Cia, Hering, Dalila Têxtil, Digra, Dudalina, Fakini, Kyly, Karsten, Lancaster, Marisol, Oceano, Printbag, Tecnoblu e Von der Volke.

[11/12/2012] Playground revisitada

O maior Playground de uma criança é a sua imaginação. Com esse pensamento, nasce o convite para um mergulho no criativo e fantasioso universo infantil. Foi essa a proposta da Fakini, de Pomerode, durante o Santa Catarina Moda Contemporânea (SCMC). E esse, de acordo com a gerente de produtos, Daniela Bonin, é o mesmo objetivo que se mantém após a sétima edição do projeto que une instituições de ensino e empresas com o intuito de fomentar a moda no Estado.

De acordo com a profissional, o SCMC trouxe um novo olhar para o público da marca e a possibilidade de conseguir visualizar um mercado que precisava de uma atenção mais direcionada. “Com a ajuda do projeto, podemos repensar a marca infantil Playground e fazer algumas mudanças para torná-la mais atraente sem perder a identidade”, explica.

Segundo Daniela, a coleção Inverno 2013 da Playground já surge com um novo conceito. Para ela, é o começo de um reposicionamento no mercado infantil a fim de entender as necessidades de cada criança e poder proporcionar a elas a possibilidade de se divertir com liberdade, dando atenção aos detalhes na hora de desenvolver cada produto.

Para as peças que irão vestir nos dias frios, a inspiração partiu no Rain of Dreams (Chuva de Sonhos) com referências nos anos 50. A ideia é propor que um dia de chuva pode ser muito inspirador. Para isso, o intuito foi brincar de colorir a paisagem cinzenta e úmida e aquecer de sonhos o inverno infantil. A tradução do tema poderá ser vista na materialização de formas limpas, amplas e confortáveis de maneira lúdica.

Sobre a Fakini
Localizada em Pomerode (SC), a Fakini Malhas foi fundada em 1994. A empresa tem capacidade produtiva de aproximadamente 800 mil peças por mês e trabalha com as linhas Fakini Kids, Fakini Teens, Fakini Women, Fakini Me, Fakini Plus Size e com a marca própria Playground. Além disso, atua ainda como licenciados como O Gato Félix, Os Flintstones, Disney, Os Simpsons, Mila & Co., Pucca, Os Smurfs, Young Justice, DropDead, Transformers, Batman, Ursinhos Carinhosos, Krypto e as novas lincenças, Thundercats, Playstation e Turtles.

Sobre o SCMC
Crescimento, aprendizado e inovação são pontos fortes do projeto que reúne instituições de ensino, alunos e empresas na criação e desenvolvimento de um projeto experimental que demonstra o talento dos futuros profissionais, assim como o potencial da indústria e seu desejo de inovação.

O SCMC desenvolve ações de capacitação como palestras, workshops, visitas técnicas, atividades diretas de criação dentro das empresas, grupos de estudos e laboratórios de criação, na intenção de auxiliar na construção do conhecimento e de uma forte identidade da moda catarinense. Para isso, tudo é baseado no trabalho colaborativo que solidifica o setor industrial do Estado nos âmbitos nacional e internacional.

Instalação da Fakini durante o evento final do SCMC. Crédito: Eduardo Beltraminii/Divulgação

[30/11/2012] Morphy reforça o conceito de inovação do Santa Catarina Moda Contemporânea

A Morphy Agência Interativa foi a responsável pelo novo site do Santa Catarina Moda Contemporânea (SCMC). Mas a página na internet é apenas um dos trabalhos desenvolvidos ligados ao projeto. Durante o evento final, realizado nos dias 23 e 24 de novembro, no P12 Parador Internacional, em Florianópolis, um aplicativo foi elaborado para fazer parte da instalação do time da Hering.

De acordo com Denis Budag, gerente de projetos da Morphy, o site permite a visualização e a navegação facilitadas, que destaca as empresas e instituições de ensino participantes e as principais informações sobre o que é o SCMC. Segundo o profissional, a intenção foi valorizar os parceiros e deixar aparentes as novidades do projeto.

No layout foi utilizado um efeito chamado parallax, que faz com que as várias camadas do site se movimentem em tempos diferentes, dando a sensação de profundidade. “O objetivo foi criar um espaço virtual que reflita as características de inovação do SCMC”, comenta Denis.

Além do site, a Morphy desenvolveu um projeto para a participação da Hering no evento final do Santa Catarina Moda Contemporânea. Quem visitou o estande da empresa foi convidado a fazer uma foto no telão disponível no espaço. É o caso da colunista da Vogue Brasil, Alexandra Farah e da consultora de moda e sustentabilidade, Chiara Gadaleta, que fizeram seus cliques. Através de uma tela de toque, foi possível ainda deixar o nome e escrever algum recado. A integração com a Fanpage da marca possibilitou o envio automático para um álbum no Facebook. A ideia, segundo o diretor da Morphy, Marlon Souza, foi deixar o ambiente mais interativo, além de fazer um registro de quem passasse por lá.

Sobre a Morphy
É uma empresa que atua no mercado de soluções interativas para Internet e outras mídias digitais. Entre os serviços prestados destaca-se o desenvolvimento de aplicativos e jogos para diferentes plataformas como mobile, Facebook, telas de toque e diversas tecnologias usadas em publicidade, feiras e eventos. Já realizou trabalhos para clientes como Beto Carrero World, Editora Globo, Gloria Kalil, Haco, Hering, Portobello e muitas outras empresas de destaque em seus segmentos.

Sobre o SCMC
Crescimento, aprendizado e inovação são pontos fortes do projeto que reúne instituições de ensino, alunos e empresas na criação e desenvolvimento de um projeto experimental que demonstra o talento dos futuros profissionais, assim como o potencial da indústria e seu desejo de inovação.

Sobre a Hering no SCMC
O time partiu de inspirações baseadas no Easy Living para desenvolver sua coleção. A redescoberta do prazer, do conforto e do contato foi batizada de Time for Pleasure, que consiste no hipermodernismo e na moda dialogando ideologias de coexistência. A equipe propôs uma nova consciência através do onírico interativo, ou seja, mostrar que cada um vai além do objeto, do produto e do processo, e que somos todos conectivos entre o hedonismo e um novo luxo. O objetivo foi transformar a cultura material catarinense em referencial para a moda, com estamparias e aplicações alinhadas à experiência loungewear para o lifestyle Resort Culture.

Alexandra Farah e Chiara Gadaleta fotografando no aplicativo criado pela Morphy

 

[27/11/2012] Evento final do SCMC reforça aposta na identidade resort para o Estado

Nos dias 23 e 24 de novembro, em Florianópolis, o público pôde desbravar a identidade catarinense através de uma amostra dos trabalhos realizados em 2012 pelos times criativos do Santa Catarina Moda Contemporânea (SCMC). A exposição aconteceu no P12 Parador Internacional, um beach club que reforça a identidade estudada por empresas e instituições de ensino para a moda e o design catarinense: somos resort wear.

Foram 14 instalações que apresentaram uma capsule collection desenvolvida entre colaboradores das empresas e alunos de cursos de Moda e Design de instituições de ensino. Todas se inspiraram em alguma característica desta identidade para criar as suas coleções.

O presidente do SCMC, Cristiano Buerger, destaca que este foi um ano ímpar para o movimento. “Com o apoio dos nossos diretores criativos, descobrimos aonde queremos chegar. Seremos, em breve, um Estado referência em geração de tendências e comportamento”, acredita.

Jackson Araujo e Luca Predabon, diretores criativos do SCMC, acrescentam que o termo resort culture é uma compilação do estilo de vida catarinense. “Vocês têm marcas incríveis, tecnologia de ponta, alta gastronomia, as melhores baladas e uma natureza exuberante. Nosso desafio foi encontrar uma identidade que juntasse tudo isso para que Santa Catarina pudesse ter uma identificação a nível nacional e internacional do seu estilo próprio”, comenta Jackson.

A estimativa é que cerca de 2 mil pessoas tenham passado pelo evento.

1º Fórum Internacional de Inovação, Design e Sustentabilidade
No dia 23, o Santa Catarina Moda Contemporânea promoveu, em parceria com a Fiesc, o 1º Fórum de Inovação, Design e Sustentabilidade. O destaque desta edição foi para as iniciativas sustentáveis da cidade de Portland, nos Estados Unidos. No primeiro semestre deste ano, executivos ligados ao SCMC conheceram a cidade e visitaram algumas empresas.

Desta experiência, conheceram e trouxeram para o Fórum Nancy Hales (da Portland State University), Rex Burkholder (Metro Council), Scott Hamlin (da Looptworks) e o prefeito da cidade, Charles Hales. Há 25 anos, Portland era uma cidade extremamente poluída e com sérios problemas de infraestrutura. Hoje, é a segunda mais sustentável do mundo. Eles falaram sobre a transformação através da qualidade de vida.

Também foram apresentadas iniciativas brasileiras de trabalho pela sustentabilidade como o Instituto Ethos, o Pacto Global e o Selo Qual, lançamento da Associação Brasileira da Indústria Têxtil (Abit). O Senai também apresentou o seus Institutos.

2ª Mostra Institucional de Fashion Videos (clique aqui para ver)
A 2ª edição da MODEO (Mostra Institucional de Fashion Videos) teve a apresentação de 14 filmes. As produções, que retratam através de imagens a ideia de resort culture de cada Time, foram dirigidas pela dupla de videoartistas Giovani Canan e Emilio Rau. A trilha sonora original é de Max Blum, um dos mais conceituados produtores e DJs de trilhas para desfiles das semanas de moda no país. Jackson Araujo e Luca Pedrabon assinam a direção criativa.

Sobre o SCMC
Crescimento, aprendizado e inovação são pontos fortes do projeto que reúne instituições de ensino, alunos e empresas na criação e desenvolvimento de um projeto experimental que demonstra o talento dos futuros profissionais, assim como o potencial da indústria e seu desejo de inovação.

O SCMC desenvolve ações de capacitação como palestras, workshops, visitas técnicas, atividades diretas de criação dentro das empresas, grupos de estudos e laboratórios de criação, na intenção de auxiliar na construção do conhecimento e de uma forte identidade da moda catarinense. Para isso, tudo é baseado no trabalho colaborativo que solidifica o setor industrial do Estado nos âmbitos nacional e internacional.

Abaixo as informações do ano 7

• 14 empresas: Altenburg, Audaces, Cia.Hering, Dalina Têxtil, Digra, Dudalina, Fakini, Grupo Kyly, Karsten, Lancaster, Marisol, Oceano, RVB Malhas e Tecnoblu
• Número de funcionários: 21.925
• Faturamento: R$ 3.31 bi
• 9 instituições de ensino: Senai Blumenau, Senai Criciúma, Senai Jaraguá do Sul, Senai Joinville, Senai Rio do Sul, Udesc, Uniasselvi, Uniasselvi Assevim e Univali
• Empregabilidade: 90% dos mais de 350 estudantes envolvidos nos sete anos de projeto estão empregados
• Investimento total no SCMC: aproximadamente R$ 5 milhões

Cristiano Buerger, presidente do SCMC. Crédito: Eduardo Beltramini

Luca Predabon e Jackson Araujo, diretores criativos do SCMC. Crédito: Eduardo Beltramini

[27/11/2012] Iniciativas de Portland foram destaques do 1º Fórum Internacional de Inovação, Design e Sustentabilidade

No dia 23 de novembro, Florianópolis foi sede do 1º Fórum Internacional de Inovação, Design e Sustentabilidade. O evento, realizado pelo Santa Catarina Moda Contemporânea (SCMC) e pelo Sistema Fiesc, teve como objetivo levar o conhecimento de empresas e instituições de ensino sobre iniciativas de sustentabilidade.

A primeira etapa da programação teve como destaque quatro personalidades trazidas diretamente da segunda cidade mais sustentável do mundo: Portland, nos Estados Unidos. Na segunda fase, foram apresentadas três iniciativas brasileiras para desenvolver atitudes sustentáveis.

Veja abaixo os temas abordados por cada palestrante.

Glauco José Côrte
Presidente da Fiesc

Glauco abriu o evento comentando que não é com preço que Santa Catarina deve competir com as indústrias internacionais. “Nosso foco deve ser em qualidade e design”, afirmou. E, segundo o executivo, a prova de que o Estado está a passos largos para reforçar essa característica é a conquista para sediar a Bienal Brasileira de Design em 2015. “O design pode – e vai – se tornar o nosso diferencial competitivo diante do resto do país”, completou.

Cristiano Buerger
Presidente do SCMC

A primeira etapa da fala de Cristiano foi baseada em números. Segundo a apresentação dele, Santa Catarina tem 17% das empresas têxteis do País que respondem por 15% do faturamento e empregam cerca de 170 mil pessoas. “Oito dos 25 maiores grupos brasileiros estão aqui”, confirmou. O PIB Têxtil do Estado é de R$ 17,9 bilhões.

Para Cristiano, Santa Catarina tem uma situação excepcional. “Além das questões corporativas, temos ainda dois dos maiores clubes de música eletrônica do mundo, atrações turísticas invejáveis e muito o que mostrar”, complementou o executivo.

Scott Hamlin
Co-fundador da Looptworks

A Looptworks é uma empresa especializada em desenvolver produtos com as sobras de produção de outras empresas. Mas isto está longe de significar itens com baixo valor agregado. Através do design e da venda do conceito de sustentabilidade, a companhia apresenta números significativos de crescimento.

Scott, que já foi presidente de companhias como a Adidas, destacou que as pessoas não tem o hábito de consumir produtos apenas por serem sustentáveis. “Se compra pelo design, pela praticidade, pela beleza e também por ter um conceito de proteção ao meio ambiente”, explicou.

Rex Burkholder
Presidente do Metro Council

O Metro Council é uma entidade que controla algumas ações governamentais e de entidades de cidades da região de Portland. Os diretores dela, eleitos pelo povo local, acompanham atitudes sustentáveis e de qualidade de vida realizadas pelas prefeituras.

Ele reforçou que, há 25 anos, o município era completamente diferente. Com níveis de poluição altíssimos, chegou a ter as aulas suspensas por falta de qualidade do ar. “O processo de mudança da cidade envolveu todas as esferas: da casa de cada um até a prefeitura, empresas e entidades. Em Santa Catarina, o SCMC é uma mostra muito importante de que as companhias estão se mobilizando para fazerem a sua parte”, destacou.

Nancy Hales
Diretora da Portland State University

A executiva dirige o First Stop Portland, onde desenvolve e supervisiona tours de estudo para planejamento urbano com delegações internacionais e estudantes da universidade. A Portland State University tem 30 mil alunos.

Na sua palestra, ela falou da importância das empresas que acreditam em inovação e sustentabilidade na construção dessa nova Portland, mais sustentável. Ela afirmou que as ações que acontecem na cidade estão alinhadas também com os executivos e com as instituições de ensino.

Charles Hales
Prefeito de Portland

O prefeito comentou sobre alguns aspectos diferenciados de Portland como, por exemplo, o fato de 18% das pessoas utilizarem a bicicleta como veículo de transporte. Em um vídeo sobre a cidade, mostrou a importância dos espaços de lazer e algumas iniciativas simples e de resultados eficazes, como os prédios verdes, que reduzem a necessidade de aparelhos de ar condicionado.

Sérgio Arruda
Diretor regional do Senai SC

O executivo abordou a criação de Institutos Senai, que fazem parte de um projeto de estratégias para o aumento da competitividade das indústrias de Santa Catarina, e tratou especialmente dos cursos voltados cadeia têxtil e de design no Estado.

Emilio Mattos
Diretor do Instituto Ethos

O Instituto Ethos é uma entidade que tem por missão sensibilizar, mobilizar e ajudar as empresas a gerirem seus negócios de maneira socialmente responsável. Várias dessas indústrias ligadas ao SCMC utilizam os indicadores da entidade para gerirem seus programas neste sentido.

Na sua fala, Emílio destacou a importância do engajamento de empresas de todos os portes no processo de responsabilidade social.

Yolanda Leite
Pacto Global
Criado em 2000 pela Organização das Nações Unidas (ONU), o Pacto Global é um projeto de adesão voluntária das empresas que se comprometem com alguns aspectos relacionados à responsabilidade social e ambiental.

Na sua fala, a executiva comentou que o grande desafio da sustentabilidade é engajar e envolver as empresas menores. “Elas são o chamado motor do mundo”, destacou. Yolanda também apontou que não há desenvolvimento sustentável sem o cumprimento dos direitos humanos.

Karine Liotino da Silva
Associação Brasileira da Indústria Têxtil (Abit)

A executiva fez a apresentação oficial do Selo Qual, uma agenda prioritária da Abit, que será um mecanismo de diferenciação para as indústrias, tanto para os seus habituais clientes quanto para a contratação do governo. Mais informações no site www.seloqual.com.br.

Esta é uma das iniciativas definidas em 2006, quando um estudo apontou como estaria a indústria têxtil brasileira até 2023.

Crédito: Eduardo Beltramini

Facebook
LinkedIn
Instagram