Vodka Kalvelage quer trazer aos destilados a mesma preocupação com a qualidade que invadiu o universo das cervejas

São apenas 18 meses de mercado. Mas a Vodka Kalvelage sabe exatamente aonde quer chegar. Já vendida em Santa Catarina, no Espírito Santo, Rio Grande do Norte e na Bahia, a bebida criada em Blumenau (SC) se espelha nas cervejarias que estão na mesma cidade para vislumbrar o futuro do mercado dos destilados: Traz para o consumidor nacional a mesma preocupação que as cervejarias têm com a qualidade da cerveja.

Marcos Kalvelage, um dos idealizadores da vodka, explica que a intenção do negócio, desde o início, foi oferecer uma opção para o consumidor que só encontrava produtos importados com a qualidade que muitas vezes ele buscava. “Claro, somos apreciadores da bebida. E quem gosta de saborear sabe que é complicado depender das variações cambiais para garantir um encontro saboroso com os amigos ou mesmo a caipirinha de todos os domingos”, diz.

Um dos aspectos que caracteriza a categoria onde a vodka se encaixa é a qualidade das matérias-primas utilizadas. No caso da Kalvelage, os itens estão alinhados com os melhores produtores mundiais.

Para sensibilizar o consumidor nacional, a marca buscou certificações fora do Brasil. Participou de duas competições internacionais e voltou com as medalhas de prata do San Francisco World Spirits Competiton 2014 e do Hong Kong International Wine and Spirits Competition 2014. “Esses selos nos trazem credibilidade, mesmo que sejamos um produto ainda jovem. Nosso objetivo para 2015 é abrir novos mercados nos demais estados brasileiros, além de aumentar as vendas pelo e-commerce para as regiões onde ainda não existem pontos de vendas”, ressalta Marcos.

Marcos e Maurício Kalvelage, sócios da Vodka Kalvelage, bebida premium produzida no Brasil. Imagem: Daniel Zimmermann
Marcos e Maurício Kalvelage, sócios da Vodka Kalvelage, bebida premium produzida no Brasil. Imagem: Daniel Zimmermann